Home 10 Tag Archives: esporte

Tag Archives: esporte

Prefeita de Ubaitaba participa de lançamento do Projeto PELC

Ubaitaba será contemplada com o Projeto PELC do Governo do Estado. A prefeita de Ubaitaba, Suka Carneio, acompanhada do coordenador de Esportes do município, Vinicius Porqueres e do chefe de Gabinete, Raimundo Fahning, participou nesta segunda-feira (14), do lançamento do Programa PELC Bahia – Esporte, Diversão e Lazer para Você, lançado pelo Governo do Estado em Lauro de Freitas. O projeto acontecerá através de parceria entre o Ministério do Esporte, o governo estadual e dezenas de prefeituras, entre elas a Prefeitura de Ubaitaba, que prevê a formalização de 100 núcleos, em 78 municípios, a partir de um convênio de R$ 18,2 milhões. Em cada núcleo, 400 vagas serão oferecidas para atividades esportivas, culturais e lúdicas, que contemplam tanto crianças e jovens quanto idosos e pessoas com deficiência. Além do futebol, estão previstos nos núcleos baianos futsal, judô, vôlei, basquete, handebol, natação, canoagem, jiu-jitsu, karatê e capoeira. Cada núcleo terá pelo menos seis atividades, e as aulas terão duração mínima de uma hora. Caminhada, alongamento, ginástica, além de música, teatro, dança e leitura também incluem o cardápio de atividades. “O grande barato do projeto é que ele vai de seis anos a 80 e tantos anos. Da criança e do adolescente à perspectiva de tirar o senhor de idade de dentro de casa e fazer duas coisas muito legais: botar o corpo e a mente em movimento e integrar, trazer para convivência com outras pessoas. Mexe com o corpo, a mente e a socialização”, afirmou o secretário de Esporte, Lazer e Inclusão Social do Ministério do Esporte, Leandro Cruz. (Ascom/Ubaitaba)

Leia Mais »

Flamengo encara a Universidad Católica hoje e pode ir às oitavas de final

Rubro-negro precisa vencer e torcer para que o Atlético Paranaense não perca para o San Lorenzo O Flamengo tem a vantagem do empate para conquistar o 34º título estadual da história, o sexto de forma invicta, contra o Fluminense, no próximo domingo (7). No entanto, a chave está virada para a Copa Libertadores e o duelo importantíssimo contra a Universidad Católica-CHI, nesta quarta-feira (3), às 21h45, no Maracanã.   Uma vitória em casa pode colocar o clube da Gávea antecipadamente nas oitavas de final da competição Sul-Americana. Para isso, basta que o rubro-negro faça a sua parte e o San Lorenzo não vença o Atlético-PR, em partida que começa às 21h, em Curitiba, também nesta quarta (3). Assim como colocou o Flu nas cordas, o Fla precisará de nova dose de inspiração para surpreender e travar a eficiente equipe chilena. O técnico Zé Ricardo tem problemas e estuda alternativas. Berrío (suspenso), Diego (em recuperação de cirurgia no joelho) e Donatti (lesão na panturrilha) estão fora do compromisso. O volante Rômulo sofreu uma entorse no joelho e dificilmente jogará. Zé Ricardo insistirá em um time forte pelas pontas para sustentar o padrão. A confiança segue no atacante Guerrero, recuperado de cãibras na panturrilha direita e principal esperança de gols do Flamengo. “Temos a certeza de que faremos a nossa melhor partida na Libertadores. Estaremos em casa, com um Maracanã lotado e temos tudo para sair classificados. Jogaremos de acordo com isso”, afirmou o motivado zagueiro Rafael Vaz. Fonte: correio Leia mais: http://www.correio24horas.com.br/single-esporte/noticia/flamengo-encara-a-universidad-catolica-e-pode-ir-as-oitavas-de-final/?cHash=33ba35c0519bd78fac3550d568ed8e3f

Leia Mais »

Baiana Amanda Nunes atropela Ronda em 48 segundos e mantém cinturão

A baiana Amanda Nunes não tomou conhecimento da americana Ronda Rousey, maior estrela do MMA feminino, e manteve o cinturão peso-galo com golpes avassaladores que levaram ao nocaute ainda no primeiro dos cinco rounds previstos.   Dentro de Las Vegas, nos Estados Unidos, a Leoa – ou Rainha Leoa – rugiu alto como nunca na madrugada deste sábado (31), e precisou de apenas 48 segundos para finalizar Ronda, com diretos e cruzados no rosto da adversária, durante o UFC 207.   No último grande evento esportivo de 2016, a lutadora nascida em Pojuca, na Região Metropolitana de Salvador, confirmou ótima fase e levou a melhor sobre a ex-campeã, que não lutava desde novembro do ano passado, quando também acabou nocauteada por Holly Holm.   Amanda havia conquistado o cinturão em junho deste ano, ao finalizar outra estrela da categoria, Miesha Tate, no primeiro round da luta principal do UFC 200, também em Las Vegas. Amanda encaixou quatro golpes certeiros em Ronda e venceu a luta por nocaute para surpresa de boa parte do público na T-Mobile Arena. (Globo Esporte)

Leia Mais »

VIP: Isaquias Queiroz leva o prêmio Revelação no GQ Men of the Year

Único atleta do Brasil a conquistar três medalhas em uma mesma edição da Olimpíada – foram duas pratas e um bronze no Rio -, Isaquias Queiroz escreveu seu nome na história do esporte do país. E, agora, também na lista de “homem do ano”. É que o canoísta, de 22 anos,  foi escolhido como a Revelação de 2016 no Men of the Year, prêmio da revista masculina GQ. “Depois desses Jogos em casa, eu obtive o reconhecimento dos brasileiros e estrangeiros, e o que mais me orgulho com tudo isso é ter escrito o nome da minha cidade no mapa para que todos saibam de onde vim”, disse, em entrevista para a publicação, o  baiano de  Ubaitaba – cidade no Sul da Bahia, com  pouco mais  de 20 mil habitantes. A cerimônia de premiação aconteceu ontem, no hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. São escolhidos pela GQ os homens – e uma mulher – que se destacaram em 15 categorias durante o ano. (Rede Bahia) Isaquias: ‘O que mais me orgulho (…) é ter escrito o nome da minha cidade no mapa’ (Foto: Franco Amendola/GQ/Divulgação)

Leia Mais »

Morre Carlos Alberto Torres, capitão do Tri do Brasil em 1970

Morreu nesta terça-feira (25) Carlos Alberto Torres, aos 72 anos. Ele foi capitão do tricampeonato da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1970. O ex-atleta sofreu um infarto fulminante. Carlos Alberto, além de ter tido uma participação marcante na seleção canarinho, também foi figura de destaque em times como Santos e Fluminense. No primeiro, foi pentacampeão paulista. No Flu, Carlos Alberto conquistou o tricampeonato carioca. Atualmente, o ex-jogador trabalhava como comentarista da Sportv. Sua última aparição no programa Troca de Passes foi neste domingo, 23. O quadro estava previsto ainda para ir ao ar. Informações d´A Tarde.

Leia Mais »

Ubaitaba vence Teixeira de Freitas fora de casa e da um grande passo rumo as oitavas de final

Na tarde deste domingo 16, jogando em seus domínios no estádio Tomatão, a seleção de Teixeira de Freitas recebeu a seleção de Ubaitaba, no jogo de ida valido pela terceira fase do Campeonato Intermunicipal, o selecionado não soube aproveitar o fator campo e foi derrotada pelo placar de 3 a 1. A seleção de Ubaitaba começou a construir sua vitória aos 23 minutos de primeiro tempo com gol de cabeça do atacante Yuri, aos 38 minutos veio a grande oportunidade da seleção de Teixeira de Freitas empatar o jogo em uma cobrança de pênalti, o meia Isaac Costa cobrou pra fora. Com 1 minuto do segundo tempo o zagueiro Acácio fez 2 a 0 para a seleção de Ubaitaba, a garotada da seleção Teixeirense, não se abateu e foi em busca de seu primeiro gol e aos 14 minutos em uma cobrança de pênalti o zagueiro João cobrou e diminuiu o placar do jogo deixando assim Teixeira 1X2 Ubaitaba. Depois do gol a seleção de Teixeira de Freitas, passou a pressionar a seleção de Ubaitaba, e aos 24 minutos em um conta ataque o atacante Adriano Garrote fez o terceiro gol da seleção de Ubaitaba, o gol que decretou de vez a vitória da seleção da cidade das canoas. No próximo domingo 23, a seleção de Teixeira de Freitas vai até a cidade de Ubaitaba precisando vencer a seleção da cidade das Canoas por uma diferença de três gols para se classificar para oitavas de final da competição, em caso de uma vitória por dois gols de diferença o jogo será decidido através da marca do tiro livre penal, já a seleção de Ubaitaba pode até perder por um gol de diferença que garante vaga nas oitavas de final da competição. Imprensa presente que fizeram a cobertura exclusiva deste jogo, foram Reynaldo Oliveira do Blog Boquinha Polemica No Esporte, Amadeu Ferreira da Rádio Web Regional de Teixeira de Freitas e Jornal Tribuna no Esporte e Luan Mota do Esporte na Mídia. FICHA TÉCNICA: Seleção de Teixeira de Freitas 01X03 Seleção de Ubaitaba Cidade: Teixeira de Freitas   Estádio: Antônio Rodrigues Santana (Tomatão) Data: 16-10/2016   Horário: 1500 Competição: Campeonato Intermunicipal de Futebol Amador – 2016 A Seleção de Teixeira de Freitas jogou perdeu com: 1- Yuri, 2- Léo Gago (7- Levi), 13- Eduardo Piolho, 3- Saulo Bebezão, 4- João, 6- Pedro Henrique, 5- Adson Serrote, 8- Negon, 10- Isaac Costa (19- Leon Mustela), 9- Marcelo (13- Isaac Rego) e 11- Piolho Técnico: João Carlos Gol: João Cartão amarelo: Yuri e Negon Cartão vermelho: Piolho e Negon A Seleção de Ubaitaba jogou e venceu com: 1- Folha, 2- Maycon, 3- Zé Diego, 4- Acácio, 6- Pelezinho (13- Danilo), 5- Rafael, 7- Neto (19- Davi), 8- Cuinho, 20- Jean, 9- Henrique (16- Miucho), 11- Yuri (18- Adriano Garrote). Técnico: Lico Gols: Yuri, Acácio e Adriano Garrote Cartão amarelo: Zé Diego Cartão vermelho: Rafael Árbitro Central: Wilde Vieira dos Santos/FBF/Pau Brasil Árbitro Assistente 01: Cezar Santos Nascimento/FBF/Buerarema Árbitro Assistente 02: Uelton Bispo Bonfim/FBF/Itamarajú Quarto Árbitro: Marcos José Almeida Franco/FBF/Teixeira de Freitas Fonte: Boquinha Polemica No Esporte

Leia Mais »

‘Esperei a vida inteira por isso’, diz Amanda Nunes sobre confronto com Ronda Rousey

O que promete ser a luta do UFC mais esperada do ano pelos brasileiros, tem um peso ainda maior para uma das personagens do duelo: a baiana Amanda Nunes que, no dia 30 de dezembro, defendeu seu cinturão contra ninguém menos que Ronda Rousey.   Campeã dos galos do UFC, Amanda classifica o confronto, que será realizado em Las Vegas, nos Estados Unidos, como o mais importante da sua vida. “Esse é o momento pelo qual venho esperando a minha vida inteira. Venho treinando para enfrentar a Ronda desde a minha primeira luta no UFC. Essa luta vai mudar a minha vida. Treinei judô minha carreira inteira, desde que comecei no jiu-jítsu. Acho que ela não vai conseguir lidar com a minha trocação, vai ficar muito surpresa quando eu tocá-la, quando eu conectar meus socos. Sei todas as cartas que ele pode colocar na mesa e tenho 200% de chance de vencer essa luta”, disse a campeã em entrevista ao TMZ. Amanda Nunes conquistou o cinturão dos galos do UFC em junho deste ano, após derrotar Miesha Tate no primeiro round. Já Ronda Rousey está longe dos octógonos desde novembro de 2015, quando foi nocauteada por Holly Holm, que deu fim à sua invencibilidade e ao cinturão da categoria.

Leia Mais »

Bahia passa fácil pelo Tupi e se mantém na briga pelo acesso

Bahia passa fácil pelo Tupi e se mantém na briga pelo acesso

O Bahia se mantém vivo no sonho pelo acesso à Série A. Num jogo fácil neste domingo (9), pela 30ª rodada da Série B, o time comandado por Guto Ferreira fez 4 a 0 no Tupi, na Arena Fonte Nova. Cajá, Wesley Natã, Juninho e Régis marcaram os gols. Com o resultado, o Esquadrão de Aço ocupa a sexta posição, com 46 pontos ganhos, dois a menos que o quarto colocado Avaí. O próximo adversário do Bahia será o Brasil de Pelotas, nesta sexta-feira (14), às 21h30, na Arena Fonte Nova. (Bahia Notícias)

Leia Mais »

Bahia anuncia empréstimo de Luisinho para clube árabe

Bahia anuncia empréstimo de Luisinho para clube árabe

O atacante Luisinho não vai continuar no Bahia para a reta final da Série B do Campeonato Brasileiro. Na tarde desta quinta-feira (22), o clube anunciou através de nota que o atleta vai ser emprestado ao Al Faisaly, da Arábia Saudita, até junho de 2017. Luisinho, que tem 25 anos de idade, atuou em 39 partidas, marcou seis gols e efetuou quatro assistências. Seu contrato com o Esquadrão vai até dezembro do próximo ano. (Bahia Notícias)

Leia Mais »

Ipiaú Bike Clube realizou o 1º Duathlon da cidade

Aconteceu nesse domingo (18) a primeira etapa de Duatlhon da cidade de Ipiaú, evento realizado pela Ipiaú Bike Clube, que reuniu atletas de toda região com o circuito de 5 km de corrida e 20 km de ciclismo. O Circuito da primeira etapa teve largada na praça Rui Barbosa, com 2,5 km de corrida, em seguida 20 km de ciclismo em sentido a Mina da Mirabela e retornado pela trilha da Torre de Rádio e TV, finalizando com mais 2,5 km de corrida. O pódio “Elite” que são os três primeiros a chegar, ficou assim: 1º lugar – o atleta de Ipiaú Tauan Silva; 2º lugar, também de Ipiaú, Moises Ramos e em 3º lugar, o atleta da cidade de Jequié Péricles Maia. Pódio na categoria Sub-30 (Foto:Divulgação) O evento realizado pelo Ipiaú Bike Clube agradou os participantes pela organização. Comerciantes locais apoiaram o 1º Duathlon de Ipiaú. Devido o sucesso da primeira edição, os organizadores já planejam a 2ª edição da modalidade esportivo.

Leia Mais »

TVE Bahia transmitirá com exclusividade os jogos do Campeonato Intermunicipal de Futebol

TVE Bahia transmitirá com exclusividade os jogos do Campeonato Intermunicipal de Futebol

Maior competição de futebol amador do país, o Campeonato Intermunicipal de Futebol da Bahia tem agora sua emissora de televisão oficial. A Federação Bahiana de Futebol (FBF), o Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb) firmaram acordo para que a  TVE Bahia transmita ao longo dos próximos três anos a competição, sucesso de público nos estádios do interior. Os jogos serão exibidos, partir das Oitavas de Final, que começam no dia 30 de outubro. A cada domingo, uma partida do campeonato será transmitido ao vivo a partir das 15h. A parceria foi formalizada no último dia 14, dia do aniversário de 103 da FBF, na sede da FBF, em uma cerimônia com a presença de presidentes e dirigentes de clubes e ligas municipais. “Começa hoje aqui uma nova história, uma nova fase do Intermunicipal. Essa competição tão grandiosa, que gera empregos, revela jogadores, árbitros e ainda tira centenas de jovens do caminho da violência e das drogas ganhou um grande parceiro. Hoje a FBF completa 103 anos e agradece o apoio do Irdeb, que acreditou na força da competição. Até 2018, teremos a TVE como a emissora oficial da competição, transmitindo jogos a cada rodada. Isso fortalece ainda mais o Intermunicipal. Estamos empolgados e confiantes de que essa parceria renderá ainda mais frutos à Federação e ao campeonato”, comemorou o presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues. Já o diretor geral do Irdeb, Flávio Gonçalves, destacou a satisfação da TVE  de ter a Federação e o Intermunicipal como parceiros. “Quando cheguei em Salvador no mês de fevereiro, saí em busca de novos parceiros. Nós não pensamos duas vezes em procurar a Federação Bahiana de Futebol, uma entidade respeitada, organizada, que administra um futebol tão importante para o país, que é o baiano. Como somos uma TV pública, educativa, temos o compromisso de educar e dar visibilidade ao que é patrimônio do estado. Por isso escolhemos o Intermunicipal, um campeonato que já é forte e envolve, diretamente, cerca de 200 municípios da Bahia. Nossa prioridade é produzir conteúdos para e com a juventude. E nesse campeonato todos os atletas são jovens que estão começando e amanhã podem ser conhecidos através da TVE e terem um futuro melhor”, disse. As transmissões seguirão nas edições 2017 e 2018 do campeonato que já revelou para o futebol brasileiro e mundial grandes craques que fizeram história em clubes e seleções. É o caso do baiano Liédson, que empresta seu nome ao troféu de campeão desta edição. Ele iniciou a carreira na Seleção de Valença, disputando um Intermunicipal, e deu a volta ao mundo defendendo grandes clubes e a Seleção de Portugal, após ter se naturalizado.

Leia Mais »

Cachorro ‘gigante’ de Messi chama atenção na web e vira meme

Cachorro 'gigante' de Messi chama atenção na web e vira meme

O jogador Lionel Messi mostrou novamente na internet, depois de nove meses, uma foto de seu cachorro, Hulk. O animal chamou a atenção dos seguidores pela diferença de tamanho desde a última imagem, feita em janeiro. Hulk é um cão da raça Dogue de Bordeaux e cresceu de forma assustadora. Na internet, o bicho virou meme e já está circulando pelas redes sociais. Confira alguns: iBahia

Leia Mais »

No salto, Ricardo de Oliveira conquista primeiro ouro da Paraolimpíada

No salto, Ricardo de Oliveira conquista primeiro ouro da Paraolimpíada

Ricardo de Oliveira conquistou o primeiro ouro do Brasil na Paraolimpíada. Ele foi campeão no salto em distância na categoria T11 (cego total). Para ficar com a medalha dourada, o atleta saltou para 6,52 m contra 6,44 m do americano Lex Gillette. A marca do brasileiro o deixou a 15 centímetros do recorde olímpico. Ao falar sobre a conquista, Ricardo revelou que ficou noites sem dormir para melhorar sua performance. “Estava treinando muito, de manhã e de tarde, cheguei a ficar noite em claro, meditando. Hoje, estou comemorando resultado que tenho sofrido muito para conquistar”, falou. O brasileiro, vale lembrar, não começou bem na disputa. Em seu primeiro salto, ele queimou. Mas, logo na sequência, se recuperou e mostrou para que veio. “Eu senti que o ouro estava perto quando finalizei o salto. Ali eu senti que tinha pego o ouro se eu não tivesse queimado. No momento que eu saí da caixa de areia, estava muito preocupado mesmo em ter queimado”, revelou. O brasileiro terminou a disputa com quatro dos cinco melhores saltos da prova. Ele também disputará os 100m e avisou: “Vou dar trabalho!”. *Uol Esportes

Leia Mais »

Governador recebe os medalhistas olímpicos Isaquias Queiroz e Erlon de Souza

Governador recebe os medalhistas olímpicos Isaquias Queiroz e Erlon Silva

O c recebe, nesta sexta-feira (2), às 17h, em Salvador, os atletas Isaquias Queiroz, de Ubaitaba, e Erlon de Souza, de Ubatã.  O encontro vai acontecer no Salão de Atos da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. Os canoístas Isaquias Queiroz e Erlon de Souza, medalhistas olímpicos da Rio 2016, será recebido pelo Governador da Bahia, Rui Costa. Na oportunidade, Isaquias, que tornou-se o primeiro atleta brasileiro a ganhar três medalhas em uma mesma edição dos Jogos Olímpicos, vai pedir incentivo do governo estadual para a canoagem e vai pedir que o Centro de Canoagem seja construído em Ubaitaba, sua cidade natal. (Ubaitaba.com)

Leia Mais »

Porta-bandeira da Paralimpíada vai ser escolhido por atletas em votação

O atleta que irá levar a bandeira do Brasil na cerimônia de abertura da Paralimpíada, no dia 7 de setembro, será escolhido pelos 287 atletas que compõem a delegação brasileira, por meio de eleição. Apenas 19 atletas de seis modalidades vão receber os votos, segundo critérios do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). O porta-bandeira deve ter pelo menos uma medalha de ouro em Paralimpíadas e não pode estar escalado para competir no dia seguinte à festa de abertura do evento. Na última Paralimpíada, realizada em Londres, em 2012, o porta-bandeira foi o nadador Daniel Dias, que não poderá participar da eleição neste ano, já que tem competição marcada para o  dia 8 de setembro. Na Olimpíada deste ano, a porta-bandeira na cerimônia de abertura foi a atleta do pentatlo moderno Yane Marques, que foi escolhida pelo público, em uma enquete feita pelo programa Fantástico, da TV Globo. Segundo o comitê, na Paralimpíada, a votação será feita por meio do aplicativo de troca de mensagens Whatsapp e o nome escolhido será divulgado no próximo domingo (4). Com a entrada de mais dois atletas da esgrima, a delegação do Brasil irá contar com 287 atletas, que vão disputar em 22 modalidades. O objetivo do Brasil é ficar em quinto lugar no quadro geral de medalhas. Os Jogos Paralímpicos 2016 serão transmitidos pela TV Brasil, em parceria com emissoras da rede pública de televisão dos estados. Veja a lista de atletas que podem ser eleitos porta-bandeira da Paralimpíada: Felipe Gomes – Atletismo Lucas Prado – Atletismo Roseane Ferreira (Rosinha) – Atletismo Shirlene Coelho – Atletismo Yohansson Nascimento – Atletismo Dirceu Pinto – Bocha Eliseu Santos – Bocha Maciel Santos – Bocha Jovane Guissone – Esgrima Cassio Reis – Futebol de 5 Damião Robson – Futebol de 5 Gledson Barros – Futebol de 5 Jeferson Gonçalves – Futebol de 5 Raimundo Nonato – Futebol de 5 Ricardo Alves – Futebol de 5 Severino Gabriel – Futebol de 5 Antônio Tenório – Judô André Brasil – Natação Clodoaldo Silva – Natação (Informações do Agência Brasil)

Leia Mais »

Políticos tentam surfar nas ondas de Isaquias Queiroz

Governador da Bahia e prefeito de Ubaitaba tentam justificar a falta de investimentos e prometem centro de treinamento. A carreata que acompanhou o desfile de Isaquias Queiroz no caminhão dos bombeiros na noite da última sexta-feira não foi a única que movimentou Ubaitaba no fim de semana. A disputa eleitoral para prefeito esquenta a pequena cidade do Sul da Bahia e divide, com o trimedalhista olímpico, os comentários na Praça Cultural, nos bares próximos à rodoviária, no comércio da Avenida Vasco Neto e na feira à beira do Rio de Contas. Na verdade, são assuntos indissociáveis, ao menos na última semana. Ao pôr Ubaitaba no mapa esportivo brasileiro e sob os holofotes da imprensa nacional, Isaquias fez disparar nova corrida entre as forças políticas atuantes na cidade, onde prefeitura e governo estadual são adversários: ver quem é mais rápido em justificar ou disfarçar a falta de investimentos até hoje e em prometer apoio à Associação Cacaueira de Canoagem (ACC), o celeiro de velocistas de Ubaitaba que ocupa apenas uma casa, sem água e sem luz, à beira do rio. O governador Rui Costa, do PT, fez o primeiro movimento, tentando surfar na onda de sucesso da Olimpíada. Já na semana passada, afirmou que entrou em contato com o governo federal e que, na hipótese de Brasília não liberar dinheiro, seu governo pagará a construção de um Centro de Treinamento (CT) de canoagem e da instalação de uma raia olímpica no Rio das Contas, que são as grandes necessidades da ACC, num investimento calculado em R$ 8 milhões .O governador da Bahia também já havia prometido a construção de um CT de boxe e lutas olímpicas, este em Salvador, durante solenidade com o campeão olímpico de boxe Robson Conceição, outro medalhista baiano dos Jogos Rio-2016. No próximo sábado, o governador deve aparecer em Ubaitaba para a festa, com direito a shows de arrocha, que está sendo preparada para Isaquias. Se for, será recebido por um desafeto. O líder político de Ubaitaba é Asclepíades de Almeida Queiroz (não é parente de Isaquias), o Bêda, do PMDB, atualmente no fim de seu terceiro mandato como prefeito. Apadrinhado politicamente pelo atual ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, Bêda ganhou interlocução em Brasília com a ascensão do grupo de Michel Temer ao poder central, e mostra descrédito pelas promessas do governador Rui Costa. — Ora, pedir (ao governo federal) todo mundo pede, isso eu também fiz. Geddel me levou a Brasília, estive com o ministro do esporte. Agora ele diz que vai fazer (o CT), mas o governo estadual nunca investiu aqui. Se o governo federal liberar o dinheiro, não quer dizer que foi o governador — disse o prefeito. Bêda enfrenta dificuldades em seu terceiro mandato. No ano passado, ele teve suas contas relativas a 2014 rejeitadas na primeira análise pela Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) da Bahia, por desrespeito à Lei de Responsabilidade Fiscal. Outras denúncias aumentaram seu desgaste junto à população, a ponto de ele ter desistido de tentar nova reeleição. Há alguns meses, pediu licença médica da prefeitura, abrindo espaço para que seu vice, Paulo Bidu (PP), assumisse o cargo e ganhasse notoriedade na cidade. Bidu é o candidato da situação, e concorre à prefeitura contra Suka (PSB), vereadora líder da oposição na câmara local e apoiada pelo governador Rui Costa. A licença médica não impediu que Bêda, acompanhado da mulher e da filha, fosse ao Rio ver Isaquias competir, junto da mãe do canoísta, dona Dilma. Com camisas homenageando o atleta, Bêda e família também receberam Isaquias no aeroporto de Ilhéus, na última sexta-feira (26). O prefeito licenciado nega qualquer tentativa de extrair benefícios eleitorais da proximidade com o atleta, que, em seu discurso na praça Cultural na noite da última sexta, garantiu que ficará afastado da eleição. — Não acredito que ele vá dar apoio. Eu poderia até dizer que ele é meu eleitor, ele mesmo já disse que é Bêda, mas está sendo aconselhado a não se expor, não participar de nada. Conhecemos a família há muito tempo — diz Bêda, garantindo que seu afastamento da prefeitura não se deu pelo desgaste de sua imagem. — Não sou candidato mas não vou deixar de fazer política. Decidi não concorrer mais porque está difícil você fazer pela cidade. O cacau foi prejudicado pela vassoura de bruxa, os recursos de IPTU são irrisórios, o que entra de ISS mal dá para pagar a folha. Com muito esforço mantive a folha em dia. Não sobra um real para investimentos. Com cerca de 1.500 funcionários, a prefeitura é uma das principais motrizes da economia de Ubaitaba, empregando mais de 20% da população economicamente ativa. O cacau e o comércio urbano, ao redor do qual orbitam cidades vizinhas como Aurelino Leal e Ubatã, completam as principais receitas. DESCRÉDITO COM A POPULAÇÃO A falta de mínima infraestrutura, como saneamento básico, se vê nos bairros mais pobres, como o Armandão, um conjunto de barracos e casas de tijolos à beira da BR-101, onde dona Dilma, ali apelidada de Ina, criou seus filhos, entre eles Isaquias. O canoísta viveu ali até os sete anos, numa casa de tábua que já não existe mais, uma das ruas de barro. — Era uma criança como as outras, ficava o dia pelas ruas, brincando de fazer boneco de barro quando chovia. O Armandão sempre precisou de investimentos, até hoje continua assim — diz Lázaro Martins, de 31 anos, cantor gospel e dono de uma mercearia vizinha ao local onde Isaquias foi criado. — É um orgulho para a gente, né? Eu mesmo comecei este ano a praticar canoagem. Ausentes nos bairros mais carentes e também no incentivo à canoagem, que deveria ser o carro-chefe de Ubaitaba, prefeitura e governo estadual empatam nos minguados incentivos que a ACC recebe. Costumeiramente campeão nacional de clubes, a delegação da ACC costumam viajar para o Brasileiro da modalidade (o próximo é em setembro, em Curitiba), num ônibus cedido pela secretaria estadual de esporte e com uma verba de alimentação e hospedagem dada pela prefeitura. Quem ajudou a formar Isaquias e sofre com a falta de estrutura na sede da associação não consegue dar crédito às promessas, mesmo após as medalhas. — Olha, dizer que vão fazer o CT, dizem há muito tempo. É difícil você acreditar. Ano passado Isaquias foi campeão mundial, falaram a mesma coisa e nada — diz Luciana Costa, uma das duas professoras da ACC. (O Globo)

Leia Mais »

Isaquias chega a Ubaitaba e é recebido calorosamente por uma multidão

O medalhista olímpico Isaquias Queiroz chegou em sua cidade natal, Ubaitaba, no final tarde dessa sexta-feira (26) e foi recebido calorosamente por uma multidão. Isaquias Queiroz, 22, campeão olímpico, não esperava ser recepcionado por seus conterrâneos de uma forma tão carinhosa. Uma multidão aguardava euforicamente sua chegada na entrada da cidade. Era possível ouvir os gritos de longe “Isaquias!”, “É campeão, é campeão!”. Todos queriam ver o herói das águas, o recordista olímpico, o centauros das águas. O canoísta, que mal conseguiu subir no carro de bombeiros, desfilou pelas principais ruas da cidade com suas três medalhas olímpicas orgulhosamente estampadas no peito e no rosto um sorriso de orelha a orelha. Ele agora é uma celebridade na sua cidadezinha, tirou fotos, deu autógrafo, foi aplaudido diversas vezes e acenou para a multidão que não acreditava estar vendo, diante de seus olhos, o mito da canoagem. Em seu discurso, Isaquias agradeceu ao público pelo carinho, pela torcida, e disse que ama a sua cidade. “Eu nasci aqui e quando eu morrer quero ser enterrado aqui em Ubaitaba”. Ele ainda acrescentou que a festa em comemoração ao seu feito histórico vai acontecer no próximo final de semana. “Vai ter festa sim, vocês merecem, vamos comemorar” ressalta Isaquias. (Leide Silva/Ubaitaba.com) Veja abaixo as fotos da recepção de Isaquias: (Fotos Aleilton Oliveira/Ubaitaba.com)  

Leia Mais »

Itacaré: Jovens dominam Atletismo nos Jogos Escolares em Taboquinhas

Taboquinhas confirma favoritismo e domina Atletismo nos Jogos Escolares

Na última quarta-feira (24) os atletas Taboquinhenses que estudam na Escola Paulo Souto e Colégio Estadual confirmaram favoritismo e dominaram a competição de Atletismo, conquistando 12 medalhas. Os Jogos Estudantis da Rede Pública (Jerp), realizado pela Secretaria de Educação do Estado da Bahia em parceria com o município de Ilhéus, que teve abertura da 9° Etapa dos jogos na segunda-feira (22) em Ilhéus, no Ginásio de Esportes Herval Soledade,  vai acontecer até a sexta-feira (26). São os atletas e estudantes: Izaira – 1° lugar nos 400 metros e 3° lugar nos 800 metros; Tiffany – 1° lugar nos 250 metros e 2° lugar nos 800 metros; Maire – 1° lugar nos 100 metros e 2° lugar nos 400 metros; Evila – 1° lugar nos 800 metros; jonh Lenon – 1° lugar nos 1.500 metros; Helton – 1° lugar nos 100 e 250 metros; Marinaldo – 3° lugar nos 400 metros; Vitor – 2° lugar nos 400 e 1.500 metros. Equipe “Aço Puro” -Técnico: Tiago Marcel Andrés. Auxiliar: Ivan Jorge. Apoio: Acadêmia Ordo Salutis, Colégio Estadual de Taboquinhas, Josimar Vasconcelos e Vereador Maurício Setúbal. (Taboquinhas Informa)

Leia Mais »

Rui solicita ao Ministério dos Esportes apoio para centro de canoagem em Ubaitaba

Rui solicita ao Ministério dos Esportes apoio para centro de canoagem

O nome da Bahia tem tudo para ser ainda mais divulgado nas próximas olimpíadas. É que, nesta terça-feira (23), o governador Rui Costa esteve com o ministro dos Esportes, Leonardo Picciani, para reforçar uma solicitação que chegou à pasta em 2015: a construção do Centro de Treinamento de Canoagem na região de Ubaitaba, por onde passam as águas do Rio das Contas. Os recursos são de aproximadamente R$ 8 milhões. O exemplo do medalhista olímpico Isaquias Queiroz, filho de Ubaitaba, foi lembrado pelo governador durante a reunião. Na canoagem, o atleta baiano fez história, conquistando três medalhas na Olimpíada Rio 2016. O ministro disse que já “conversou com a Confederação Brasileira de Canoagem” e garantiu total empenho para a efetivação do equipamento na Bahia. Centro de Treinamento de Boxe Outro projeto também de conhecimento do ministério é o Centro de Treinamento de Boxe e Lutas Olímpicas da Bahia a ser construído em Salvador. Em 2015, a solicitação também chegou a Brasília. Para esta iniciativa, os recursos federais também devem ser empenhados e a obra vai ser realizada. O governador já anunciou que começa no início de 2017 e o valor deve chegar a R$ 15 milhões. “O esporte sempre esteve no nosso radar. Sou um apaixonado pela educação, tenho a determinação de construir com os baianos uma sociedade de paz, e o esporte é caminho para tudo isso”, afirmou Rui. O governador pontuou as histórias de superação de Isaquias e do pugilista Robson Conceição, dois atletas olímpicos, mostrando ao ministro o orgulho que os baianos têm desses campeões e o bom impacto do desempenho deles nas comunidades carentes da Bahia. “O exemplo convence. Queremos convencer a juventude baiana a trilhar o caminho do bem”, enfatizou Rui.

Leia Mais »

Seleção volta ao estádio do 7 a 1 para encarar Argentina pelas Eliminatórias

Seleção volta ao estádio do 7 a 1 para encarar Argentina pelas Eliminatórias

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou nesta segunda-feira (22) o estádio do Mineirão como palco da partida entre Brasil e Argentina, no dia 11 de novembro.  O jogo valerá pela 11ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018, que acontecerá na Rússia.  A última apresentação do Brasil no estádio foi na traumática eliminação na semifinal da Copa de 2014, quando foi derrotada por 7 a 1 para a Alemanha. Após a convocação da seleção, o técnico Tite falou sobre a derrota histórica. “Não tenho problema nenhum de dizer que o 7 a 1 foi culpa de todos nós do meio do futebol. E não tenho complexo de vira-lata de ficar remoendo o 7 a 1. Ele foi e passou. Temos que olhar pro agora”, afirmou o comandante.  Tite fará sua estreia no banco da amarelinha contra o Equador, no dia 1º de setembro, no estádio Olímpico de Atahualpa, em Quito. (Uol)

Leia Mais »

Sem eira nem beira: escolinha que revelou Isaquias tem estrutura precária

Sem eira nem beira: escolinha que revelou Isaquias tem estrutura precária

A cozinha de onde deveriam sair os lanches virou depósito. A academia, de pouco mais de 10m², mais parece um ferro-velho. O bebedouro está seco, pois a água foi cortada a pedido do projeto, que não poderia mais pagar a conta. Na garagem, barcos ultrapassados e amontoados uns em cima dos outros. É assim, sem eira nem beira que se encontra a escolinha responsável por revelar o maior atleta do Brasil em uma única edição de Olimpíada. À beira do Rio das Contas, um antigo bar abandonado é a casa da canoagem em Ubaitaba, grande celeiro da modalidade no país. Dali saíram campeões brasileiros, pan-americanos, mundiais e Isaquias Queiroz, seu filho ilustre, maior expoente e inspiração para as novas gerações. Quem visita a sede da Associação Cacaueira de Canoagem, porém, custa a acreditar que o pequeno cômodo doado pela prefeitura da cidade do interior da Bahia seja o lugar que revelou o canoísta. Ali, o filho da Dona Dilma deu as primeiras remadas, aprendeu a modalidade e ganhou o mundo. Até 2010, quando mudou-se para São Paulo, Isaquias usava essas dependências, praticamente sem nenhuma estrutura. Após seis anos e muitas medalhas depois, a situação é ainda pior. É na precariedade de condições que obstinados baianos trabalham diariamente para garimpar ouro, prata e bronze em canoas e caiaques velhos, em um rio poluído, sem raia para os treinos e clamando por míseros R$ 600 mensais para subsistência. No local não há livro de contabilidade. Pudera. Nenhum dinheiro entra na escolinha. Há seis anos, quando Camila Lima assumiu como presidente, eles tinham 30 barcos, todos ultrapassados. Hoje, contam com mais 25, mas nenhum deles é de fibra de carbono, melhor tecnologia do mercado. São de fibra de vidro. Os remos, velhos, volta e meia são consertados ali mesmo, na rua, por crianças e professores. Justiça seja feita, se a prefeitura de Ubaitaba não sustenta a escolinha, ao menos é a única que auxilia com algum material quando possível e envia funcionários para a manutenção dos barcos, além do pagamento de R$ 880 mensais para dois professores. Do governo estadual baiano eles não recebem verba. Nem do Ministério do Esporte ou de parceiros privados. – Eu não sei quanto a gente gasta por mês. Na verdade a gente não gasta nada. O que pagávamos antes era a água e a luz, que dava R$ 100 por mês. Os funcionários a prefeitura arca. Se tivesse um apoio mesmo, eu acredito que R$ 600 por mês ficaríamos satisfeitos. Faríamos a manutenção dos barcos. Hoje, falta até a joelheira, o bloco emborrachado para eles remarem. Estamos arrecadando R$ 200 para comprar o emborrachado, para fazer essa estrutura. Compramos no quilo e depois nós mesmos preparamos a joelheira para as crianças – explica a presidente Camila Lima, ex-canoísta. SEM RAIA, SEM LANCHA E SEM LANCHE A Associação Cacaueira de Canoagem de Ubaitaba foi fundada em 1985. Um dos pioneiros foi Jefferson Lacerda, primeiro brasileiro a disputar a modalidade em Olimpíada, em Barcelona 1992. Do município o trabalho se expandiu para Ubatã, cidade vizinha que revelou Erlon de Souza, medalhista ao lado de Isaquias, e também Itacaré. A ideia era criar rivalidade entre os atletas. Daquela época para agora, pouca coisa mudou. Durante 10 meses, entre 2005 e 2006, os núcleos receberam incentivos através do programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte. A fonte secou e só Ubaitaba segue com o trabalho, mas a duras penas. Nem lanche após os treinos eles têm. Não bastassem todas as dificuldades ainda em solo, no Rio das Contas as crianças e jovens ainda precisam encarar outros desafios. A água é poluída. Esgoto in natura ainda é despejado e o nível do rio caiu muito com a estiagem. As plantas aquáticas por vezes se enroscam nos barcos, atrapalhando os treinos. Também existem várias pedras pelo caminho. Por fim, não há uma raia oficial para os treinos. Eles remam se guiando por uma linha imaginária. Camila Lima, presidente e professora, não conta com uma lancha e precisa se esgoelar para passar as instruções às margens do rio. Quando os barcos viram com as crianças, elas mesmas se ajudam. – É de grande importância ter uma raia. Isso faz diferença no treinamento. Sabemos da dificuldade que é, tem pedras no rio, teriam que fazer uma barragem. Tem todo um processo. Isso é uma coisa que até pensamos, mas fica distante, no sonho. Os barcos, queríamos barcos top de linha, de carbono. Uma lancha… Ter uma lancha para acompanhar os meninos seria ótimo. As vezes eles viram do caiaque ou da canoa e temos que gritar para os outros meninos darem suporte a eles, para ajudarem a subir de novo. Se tivesse uma lancha, era meio caminho andado. Aqui temos muitos que são o Isaquias Queiroz no futuro. Mas não pode desistir no primeiro obstáculo. Tem que fazer disso um estímulo – conta a professora. IDA AO BRASILEIRO SOB RISCO Com dois turnos de aulas, pela manhã e a tarde, a escolinha da Associação Cacaueira de Canoagem atende a 60 atletas. São 15 crianças da escolinha de 8h às 10h e mais 15 de 14h às 16h. Os outros são os jovens que treinam por conta própria e fazem exercícios de alongamento e musculação quase que sem orientação profissional adequada. Entre os dias 22 e 25 de setembro, a turma tem mais um desafio pela frente. Curitiba receberá a o Campeonato Brasileiro da modalidade. Com 32 atletas para viajar e mais quatro técnicos, a ida até o Sul ficou orçada em R$ 30 mil. No momento, eles não contam com nada em mãos, mas vão viajar mesmo assim. – Aqui a gente ajuda como pode. Nos juntamos, cada um dá um pouco. A verdade é que nos acostumamos a não ter nada. E vamos continuar nos virando assim. Sempre foi assim. Para Isaquias e Erlon, as medalhas da Olimpíada vão ajudar, mas para esses meninos aqui eu duvido que mude alguma coisa. Depois que passar o oba oba da Olimpíada, vai continuar do jeito que está ou até pior. Nos acostumamos a revelar jovens assim e tenho certeza que outros vão surgir da mesma forma – diz Jefferson Lacerda, pioneiro da canoagem do Brasil em Olimpíada e “salvador” de Isaquias, quando o patrocinou no início da carreira com R$ 50 mensais para que ele não desistisse do esporte. Os meninos que vão para a primeira participação em Campeonato Brasileiro ainda precisam se filiar à Confederação Brasileira de Canoagem. O valor de R$ 40 é alto para muitos. Alguns estão com pai e mãe desempregados e já trabalham na feira, como Jonathan Santos, de 11 anos e uma das …

Leia Mais »

Jovem que passou a noite com Bolt já foi casada com chefe do tráfico carioca

A carioca de 20 anos que teve fotos íntimas ao lado do atleta Usain Bolt vazadas na internet já foi casada com Douglas Donato Pereira, o Diná Terror. De acordo com o jornal ‘Extra’, ele é um ex-chefe do tráfico do Morro Faz Quem Quer e foi morto em março deste ano. (Foto: Reprodução/Facebook) Diná era acusado da morte de duas jovens com idades de 18 e 19 anos. Uma delas foi filmada enquanto era torturada por traficantes e o vídeo vazou nas redes sociais. O caso aconteceu em setembro de 2014. A outra jovem foi morta por vingança, depois que o namorado fugiu do morro levando armas e drogas para o Complexo da Maré. Inclusive, ainda segundo a publicação, a jovem chegou a lamentar a morte de Diná Terror. Quando ele foi morto, ela fez uma postagem lamentando a ausência do traficante, que é pai de seus dois filhos. Na ocasião, ela recebeu apoio de amigos. Noite com Bolt Questionada pelo jornal ‘Extra’ sobre a noite com o ícone do atletismo mundial, a carioca afirmou que mandou a foto somente para um grupo de amigas e reagiu com surpresa ao saber que os registros já circulavam pelo WhatsApp. “Nunca quis ser famosa, estou morta de vergonha”, disse. Ela definiu a noite com o atleta como “normal”, sem dar mais detalhes.

Leia Mais »

Tá acabando! Relembre as dez maiores polêmicas dessa Olimpíada

Tá acabando! Relembre as dez maiores polêmicas dessa Olimpíada

Toda Olimpíada tem suas quebras de recordes. Difícil medir se os jogos olímpicos no Rio foram os mais polêmicos da história, mas é fato que não faltaram controvérsias. Mentiras, racismo, falta de fair play, piadas e declarações infelizes, teve de tudo nessa Olimpíada. Separamos as dez histórias mais polêmicas, veja abaixo. 1. Ouro na mentira (Foto: AFP) O nadador americano Ryan Lochte se empolgou na comemoração da medalha do ouro e bebeu demais. Esse é o fato mais simples de explicar dentro da história em que o atleta se envolveu e foi a maior polêmica dessa Olimpíada: ele e outros três nadadores disseram que foram assaltados por policiais ao saírem de uma festa. Ao investigar, a polícia descobriu que eles apenas foram rendidos por seguranças após causarem uma confusão. Aparentemente, tudo não passou de uma invenção para enganar a namorada de um deles, que não sabia da festa. Dois nadadores foram retirados do vôo de volta para casa e terão que pagar uma multa de R$ 35 mil. 2. #Chateado (Foto: AFP) O recordista mundial do salto com vara, Renaud Lavillenie, ficou muito chateado por ter perdido o ouro para Thiago Braz. O jovem atleta brasileiro fez a melhor marca de sua carreira e superou o francês, que colocou a culpa nas vaias da torcida. Ele chegou a comparar a reação do público com as vaias recebidas pelo americano Jesse Owens, negro, durante os Jogos na Alemanha nazista, em 1936. Um jornalista do Le Monde ajudou a aumentar a polêmica, escrevendo que o técnico de Lavillenie afirmou que a derrota estaria vinculada a “forças místicas, talvez as do candomblé”. No dia seguinte, o jornalista confessou que tinha inventado a declaração. 3. Snap dedo-duro Ângelo e Nory (Foto: Reprodução/Instagram) Após virar o queridinho nas redes sociais, o ginasta Arthur Nory viveu momentos turbulentos. Apesar de ter levado o bronze no solo, muita gente relembrou um episódio racista protagonizado pelo medalhista. Em 2015, ele postou um vídeo em seu perfil no Snapchat, em que fazia piadas racistas para o colega de seleção, Ângelo Assumpção, que é negro. Na ocasião, Nory pediu desculpas, mas o estrago já foi feito. O atleta, inclusive, diz que tem dificuldades de encontrar patrocinadores. 4. Recalque ou indelicadeza? (Foto: Reprodução) Ainda antes dos jogos começarem, Ingrid Oliveira levou um atleta brasileiro para seu quarto na Vila Olímpica. Sua companheira de quarto, Giovanna Pedroso, não gostou de dormir fora e dedurou a colega para os superiores. A polêmica sobre quem tinha razão dominou as redes sociais. O caso piorou quando a dupla dos saltos ornamentais não teve um bom resultado na competição. 5. Repelente de medalha (Foto: Reprodução/Twitter) A goleira da seleção americana de futebol, Hope Solo, postou uma foto com seu “kit zika”: uma rede envolvendo sua cabeça e um repelente. O público brasileiro não gostou da insinuação e bombardeou a jogadora. Além dos memes, sempre que a goleira pegava na bola, a torcida gritava: “ziiiika”. Uma nova onda de memes surgiram quando o time, pela primeira vez em Olimpíadas, voltou para casa sem medalhas. 6. Sim, senhor! (Foto: AFP) Um gesto é alvo de polêmica desde o Pan-Americano em Toronto, em 2015. Uma série de atletas brasileiros presta continência ao subirem no pódio. Nessa Olimíada, o gesto já pôde ser visto na premiação dos ginastas Arthur Nory e Arthur Zanetti, o atirador Felipe Wu e o judoca Rafael Silva. O ato é uma reverência às Forças Armadas, por auxiliar os atletas, inclusive financeiramente. Alguns atletas, no entanto, já declararam que superiores militares solicitam que o gesto seja feito. O técnico de Zanetti chegou a criticar, afirmando que as Forças Armadas ajudam apenas os atletas que já estão “prontos”. 7. Mau perdedor (Foto: AFP) No último dia do judô nas Olimpíadas, o israelense Or Sasson venceu, por ippon, o egípcio Islam El Shehaby. O perdedor se negou a apertar a mão do rival ao final do combate e tentou deixar a área de luta sem a reverência tradicional da modalidade. O púbico vaiou, e muito, e ele foi obrigando a pelo menos acenar com a cabeça. A polêmica sobre a falta de espírito esportivo foi grande, e o Comitê Olímpico Internacional (COI) mandou o egípcio embora – ele foi expulso da Vila Olímpica. 8. Herói ou corrupto? (Foto: AFP) Já para João Havelange o COI se recusou a fazer um gesto. Em homenagem à morte do ex-presidente da Fifa, as bandeiras brasileiras foram hasteadas a meio metro nas instalações da Olimpíada. O COI, no entanto, decidiu não repetir para as bandeiras olímpicas. Em 2011, Havelange foi expulso do COI por denúncias de corrupção, mas o COI não confirmou ter sido esse o motivo. 9. Prefeito stand-up Paes e os australianos (Foto: AFP) O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, resolveu dar uma de humorista e virou o protagonista de uma polêmica. Após críticas feitas pela delegação olímpica da Austráulia, em relação às condições da Vila Olímpica, Paes disse que ia colocar um canguru na frente do local para ficar pulando para os australianos. A piada irritou a delegação. 10. Tchau, querida! (Foto: AFP) Uma investigação da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) apontou que o governo da Rússia operava um esquema estatal de doping que foi amplamente usado nos preparatórios para a Olimpíada de Londres, em 2012, e nos Jogos de Inverno de 2014, sediada pelo próprio país em Sochi. Diversos atletas russos foram, então, banidos da Rio 2016. Uma delas foi a lenda do salto com vara, Yelena Isinbayeva. (Correio)

Leia Mais »

“Provei que sou o maior”, diz Usain Bolt em sua despedida

"Provei que sou o maior", diz Usain Bolt em sua despedida

O atleta jamaicano Usain Bolt chegou à última entrevista de sua carreira olímpica ouvindo e dançando reggae, que tocava em seu celular. Bem à vontade no centro da mesa, entre as equipes do Japão e Canadá, ele ria de algo que mostrava para o colega Asafa Powell no smartphone, brincava com os corredores canadenses e respondia com bom humor às perguntas dos jornalistas. Praticamente todas as perguntas foram direcionadas a ele, que confessou que sentirá saudade da vida de estrela olímpica. “Eu tenho um misto de sentimentos. É um alívio, por ter toda essa pressão de continuar vindo às olimpíadas e conseguir medalhas de ouro o tempo todo. Passei por muito estresse, mas definitivamente vou sentir falta do esporte e das olimpíadas”, disse ele. “A olimpíada é o maior palco para nós atletas, mas eu já fiz tudo o que posso fazer. Eu provei ao mundo que sou o maior no esporte”. Com sua aposentadoria, Bolt afirma acreditar na continuidade da força jamaicana nas corridas olímpicas. “Eu acho que estamos no caminho certo com os mais novos que temos. Meus companheiros jamaicanos, nós provamos ao longo dos anos que somos capazes e que vamos continuar pressionando e fazendo grandes coisas”. O corredor acredita ser um grande embaixador de seu país e afirma que, inclusive, fez com que mais turistas visitassem a Jamaica e mais empregos fossem criados. “Eu tenho feito o máximo que posso pelo meu país e continuarei a fazer depois de me aposentar do esporte”. Toda essa segurança, conta Asafa Powell, não necessariamente vem de muito treino. Para a prova do revezamento 4×100, em que ganhou seu nono ouro, Bolt não fez uma preparação que se pode chamar de “exaustiva” com a equipe. “Não treinamos muito. Eu acho que Usain fez uma sessão de treino e nós duas sessões o ano inteiro. Foi isso. Só aqui, quando chegamos no Brasil. Fizemos duas ou uma”, disse Asafa, que riu dos americanos por terem sido desclassificados por problemas na passada de bastão. “Eu acho que estavam mais focados em nos superar do que em fazer uma corrida decente. Foi a pressão de tentar vencer os jamaicanos”, disse, arrancando risadas de Bolt. Nos jogos do Rio de Janeiro, Bolt repetiu o feito de Pequim e de Londres, com três medalhas de ouro nas mesmas provas: os 100 metros rasos, 200 metros e o revezamento 4×100. Nas três provas, o jamaicano que nunca conheceu outras posições no pódio olímpico deixa seus recordes e não tem receio de dizer que acha difícil que alguém iguale o que conquistou nas três olímpiadas. “Eu espero que tenha estabelecido a marca alta o suficiente para que ninguém consiga de novo. Estou muito orgulhoso de mim”. (Agência Brasil)

Leia Mais »

Com o apoio da tocida, Brasil busca ouro inédito contra a Alemanha no Maracanã

Time brasileiro está cada vez mais perto de conquistar o sonhado ouro olímpico. Antes mesmo do início do Rio 2016, a final do futebol era um dos momentos mais esperados dos Jogos.  Apesar de ser esperado que o Brasil estivesse na final, não era uma certeza. Agora é concreto. O ouro está a apenas um jogo e será decidido hoje, às 17h30, contra a Alemanha, no Maracanã. A goleada por 7×1 sofrida na Copa do Mundo de 2014, no Mineirão, pode até assustar aos torcedores, mas não aos atletas. Competição nova, história diferente. Agora, os garotos do sub-23 do Brasil vão pra cima com tudo, guiados pelo “veterano” Neymar, um dos mais experientes do time mesmo aos 24 anos. No início da Olimpíada, o Brasil não encheu os olhos. Gerou conformismo de que a sonhada medalha não vinha. Logo nos dois primeiros jogos, insossos 0x0 contra África do Sul e Iraque. No último jogo da primeira fase, contou com a bênção da Fonte Nova, emplacou e fez 4×0 na Dinamarca. Nas quartas, o time do baiano Rogério Micale venceu a Colômbia por 2×0. Na reta final, os meninos voltaram a ser a equipe que faz qualquer brasileiro sentir orgulho. Atropelou Honduras: 6×0. Agora é o momento de coroar o trabalho, subir no topo do pódio e amenizar os 7×1 da Copa. Hora de fazer história e conquistar o que nem Dunga, Bebeto, Taffarel ou Zagallo, como técnico, conseguiram. Neymar conhece bem qual o gosto de bater na trave. Em Londres-2012, viu o Brasil perder na final por 2×0 para o México e ficar com uma prata amarga. Ele não quer mais viver esse sentimento. “Eu me emociono. Vou ter outra chance, em casa. Não vai ter outro momento que seja melhor do que esse. Jogando em casa, mais experiente, perto da minha família, amigos, da torcida brasileira. Não tem momento melhor que esse”, afirmou  o camisa 10. Em Jogos, o Brasil acumula três pratas (1984, 1988 e 2012) e dois bronzes (1996 e 2008). Hoje é o grande dia. De vencer, soltar o grito da garganta. De encher o peito de orgulho, de alegria e, claro, da tão sonhada medalha dourada. (Agência Brasil)

Leia Mais »

Corredor francês termina prova mesmo após sofrer problemas intestinais na Rio-2016

(Foto: AFP)

O corredor francês Yohan Diniz protagonizou uma história de superação na prova dos 50 km de marcha atlética na Rio-2016. A prova foi disputada na manhã desta sexta-feira (19). (Foto: AFP) Apesar de não ter subido no pódio, o recordista mundial em 2014 teve forças para terminar a prova mesmo depois de passar mal no percurso. Diniz chegou a defecar e perder a consciência no trajeto. Até começar a passar mal, Diniz liderava a prova. Ele então fez as necessidades fisiológicas e prosseguiu na corrida. Pouco tempo depois, reclamou de dores abdominais e, pouco antes dos 40km, caiu no asfalto. Ele foi socorrido por voluntários, levantou, bebeu água e voltou até cruzar a linha de chegada, na oitava colocação. O resultado foi uma grande vitória pessoal para o francês, uma vez que nas duas últimas edições do Jogos Olímpicos ele não havia conseguido cruzar a linha de chegada. Em Londres, em 2012, foi desclassificado e em Pequim, em 2008, abandonou a prova. A edição do Rio foi vencida pelo eslovaco Matej Toth, que fechou com o tempo de 3h40s58, seguido de perto pelo australiano Jared Tallent. O japonês Hirooki Arai completou o pódio.

Leia Mais »

Vídeo íntimo dos ginastas Arthur Zanetti e Sergio Sasaki volta a circular na web

Vídeo íntimo dos ginastas Arthur Zanetti e Sergio Sasaki volta a circular na web

Um vídeo íntimo gravado em 2011 onde os ginastas Arthur Zanetti, prata nas argolas na Olimpíada do Rio, e Sergio Sasaki aparecem se masturbando em um banheiro voltou a circular na internet nesta quarta-feira (17). Com pouco mais de 35 minutos de duração, as imagens mostram Sergio tirando a roupa e começando a se masturbar. Em seguida, Zanetti entra nas imagens e se masturba de frente para a câmera. Sasaki chama outros atletas brasileiros para participarem do momento. Zanetti ganhou prata nas argolas nos Jogos Olímpicos do Rio (Foto: AFP) É possível ver os atletas fazendo uso de bebidas alcoólicas no alojamento. A gravação foi feita durante a participação do Brasil nos Jogos Pan-Americanos no México. A divulgação do vídeo aconteceu durante as Olimpíadas de Londres em 2012. Na época, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) confirmou a veracidade da gravação e disse que as imagens foram feitas em 2011. A Polícia Federal chegou a ser acionada para impedir a divulgação do vídeo pelas redes sociais.

Leia Mais »

Brasil goleia e está na final do futebol masculino na Olimpíada do Rio

A seleção brasileira masculina de futebol parece ter definitivamente se encontrado na Olimpíada do Rio de Janeiro. Após os dois empates sem gol nos primeiros jogos, a equipe aplicou uma goleada na Dinamarca, venceu sem grandes dificuldades a Colômbia e, nesta quarta-feira (17), voltou a golear e jogar bem. Dessa vez, o adversário foi o time de Honduras, em partida válida pela semifinal do torneio. No Maracanã, o Brasil venceu o jogo pelo placar de 6 a 0; com gols de Neymar (2), Gabriel Jesus (2), Marquinhos e Luan. O adversário do Brasil na final sairá do confronto entre Alemanha e Nigéria. Além da vaga para a decisão, a vitória sobre Honduras assegurou a sexta medalha olímpica no futebol masculino, o que é um recorde em número de pódios. Outra marca alcançada foi do atacante Neymar, que marcou aos 15 segundos do primeiro tempo e registrando o gol mais rápido da história do futebol da Olimpíada. (Correio)

Leia Mais »

Posição dos atletas na luta olímpica vira motivo de piada na web; veja memes

Com posições inusitadas e performances diferentes, a modalidade movimentou as redes sociais no Brasil, e os usuários, claro, fizeram várias piadas.

Um dos esportes que mais conquistou a internet brasileira nesta Olimpíada foi a luta olímpica. Com posições inusitadas e performances diferentes, a modalidade movimentou as redes sociais no Brasil, e os usuários, claro, fizeram várias piadas. Luta olímpica vira motivo de piada na web (Foto: Reprodução/Twitter) Como o contato físico entre os atletas é muito grande, o Twitter volta e meia bomba com imagens da luta. Um bom exemplo disso é, que, em certos momentos, é necessário que um combatente fique de quatro e o outro vá por trás do adversário. (iBahia)

Leia Mais »

É do Brasil, é de Ubaitaba! Torcida organizada em Ubaitaba para ver Isaquias fazer história

Vai Isaquias! Sou mais você Isaquias! é Campeão! é Ouro! São os gritos do público que assiste eufórico Isaquias no telão em Ubaitaba, a 1360 km do Rio de Janeiro enquanto ele ganhava a prata Olímpica. A prova São 09 horas da manhã, Isaquias Queiroz já está na água, olha para a mãe na arquibancada e começa a se posicionar para a prova,  concentra, se prepara para a largada. Está posicionado na raia 4, não tem como não pensar no alemão Sebastian Brendel, na raia 5, ao seu lado, o adversário a ser batido;  ouve os gritos do público presente na lagoa Rodrigo de Freitas,  mas, talvez, Isaquias nem imagine que Ubaitaba estava toda ali, presente, assistindo a prova, torcendo, vibrando, se sentindo na Rio2016, lá no telão colocado na quadra do Colégio C.E.U, organizado pela prefeitura de sua cidade. Os gritos da multidão lembrava mais final de uma Copa do Mundo de Futebol com o Brasil jogando. Ali, não era futebol, mas era o Brasil, era Ubaitaba, era Isaquias! Às 09h08, a prova do c1-1000m tem início e o público em Ubaitaba vibra a cada remada do seu filho mais ilustre, Isaquias, e ainda com a possibilidade ganhar do alemão. A torcida está dividida em duas, uma parte se sente lá nas arquibancadas da lagoa Rodrigo de Freitas, a outra metade, nas águas remando junto, já que a cidade tem muitos atletas canoístas.   Isaquias, nesse momento, só pensa em bater o alemão, que a cada segundo parece mais difícil, mas ele não desiste, está ali para fazer história, levar a sua medalha no peito e gritar, sou campeão, sou de Ubaitaba, sou da Bahia, sou Isaquias Queiroz, o novo fenômeno do Brasil, o “Bolt das águas”.   Precisamente após 3m58s529, Isaquias chega em segundo lugar, conquistando a Prata Olímpica, entrando para a história  com a primeira medalha olímpica da canoagem velocidade brasileira.   Ficou atrás de Sebastian Brendel apenas  1s603, menos de 2 segundos. Mas ele sabia que isso já não importava mais, pois para ele, para o Brasil e para Ubaitaba, ele já era ouro e  já tinha escrito seu nome no livro da Canoagem. com aquela primeira medalha de prata conquistada nas Olimpíadas. Ele que ainda poderá ganhar mais duas até terminar os Jogos. Conterrâneos “Para nós, Isaquias já é o nosso OURO da canoagem, essa medalha de prata significa muito para nossa história, estamos falando de uma Olimpíada”, comentou Jeferson Lacerda de Ubaitaba,  ex técnico de Isaquias, ex canoísta, e ex atleta olímpico. Jeferson participou das Olimpíadas de 92 em Barcelona. “Estamos aqui vendo o nosso atleta, conterrâneo, Isaquias Queiróz trazendo emoção para o povo de Ubaitaba e todos aqui torcendo confiante que ganharíamos uma medalha para nossa cidade, vendo aqui essa competição, é muita emoção, a prata já foi muito importante”. Comenta Junior Caló, 31, um dos presentes na quadra do Colégio CEU.   Já a estudante, Taís Oliveira, 14, apesar de tímida  se emociona ao falar de Isaquias: “É uma emoção imensa está aqui vendo Isaquias no telão, torcendo pelo nosso conterrâneo, para mim é um privilégio tê-lo como canoísta e filho de nossa cidade.” Valber Arcanjo, também canoísta, campeão brasileiro em 2012 no c2  – canoa dupla – junto com Isaquias, comenta que para ele é um orgulho e uma inspiração ver um campeão e colega, ganhando a medalha olímpica. “Sei que na próxima eu também estarei lá, vou treinar para isso, como o Isaquias!” conclui.   A família de Isaquias, que é bem grande, boa parte foi assistir aos jogos lá, pertinho do campeão, no Rio. Dona Dilma, embarcou no domingo, mas antes de ir, falou com exclusividade para a reportagem do Ubaitaba.com e do Jornal A TARDE que estava confiante e que para ela era muita emoção ver ao filho competir e ganhar uma medalha: “É a primeira vez que viajo para ver meu filho competir, e ainda mais em uma Olimpíada, comenta emocionada. Seu irmão, Lucas Queiroz, também embarcou e deixou um vídeo gravado para a nossa reportagem do Ubaitaba.com: “A expectativa é muito grande, estou muito ansioso para ver ele lá no Rio de Janeiro, e acredito que ele vai conseguir, e vai ganhar medalha nas três provas” enfatiza Lucas.   Beto, 38, técnico da seleção de futebol de Ubaitaba comemora a prata: ‘foi um grande prazer pra gente, não foi o que sonhávamos, mas ganhou a prata e já sabíamos da dificuldade e sabemos da importância dessa medalha não só para o Brasil, mas também para Ubaitaba. Três medalhas Isaquias ainda compete nas categorias C2 1000m (com Erlon Souza) e C1 200m. Se conseguir mais duas medalhas, o baiano será o primeiro atleta brasileiro a conquistar três medalhas na mesma edição dos Jogos Olímpicos e ele tem reais chances de ganhar ainda um ouro ou uma prata no c1 200m e provavelmente um ouro no c2 1000m com Erlon de Ubatã, cidade vizinha de Ubaitaba. Isaquias campeão, e todos sabemos que essa prata é do Brasil, é da Bahia, é de Ubaitaba! finaliza o estudante Carlos Emmanuel, 17 anos, do Colégio CEU. Veja mais fotos:     Reportagem especial de Aleilton Oliveira/ para o site Ubaitaba.com e o jornal A Tarde. Ubaitaba.com – Sempre Atualizado!

Leia Mais »

Com vitória em 1º lugar Isaquias Queiroz se classifica para final do C1 1000

Isaquias Queiroz avança e chega em 1º lugar na bateria 2 da eliminatória da canoagem de velocidade na categoria C1 1000. O canoísta de Ubaitaba, Bahia, chegou na frente com 3m59s615 e está na disputa por medalha. A estreia de Isaquias Queiroz, 22, na competição no Jogos Olímpicos do Rio2016 foi excelente e não podia ser diferente. Ele avançou com vantagem direto para a final que acontecerá na manhã dessa terça-feira (16). Considerado o “Bolt brasileiro”, Isaquias Queiroz chegou em 1º lugar com três metros de vantagem do segundo colocado e aumenta as chances de medalha olímpica. A segunda colocação ficou com o tcheco Martin Fuksa, com 4m01s492. (Leide Silva/Ubaitaba.com)   Veja o cronograma e resultados de Isaquias Queiroz:   Canoa individual 1.000m masculino  2º lugar na classificação geral da eliminatória do C1 1000       Concluído         3:59,61    Final individual C 1 1.000m masculino     ter, 16 de agosto às 09:00   Canoa individual 200m masculino      Preliminares      qua, 17 de ago às 09:16   Canoa dupla 1.000m masculino       Preliminares       sex, 19 de ago às 09:21 Leia também: Isaquias Queiroz muda de ideia e vai brigar por 3 medalhas na Olimpíada Ubaitaba: Baiano Isaquias Queiroz é considerado o atleta com mais chances de ouro olímpico Ubaitaba: Gari artista homenageia Isaquias Queiroz Isaquias Queiroz é eleito o Atleta do Ano de 2015 Isaquias Queiroz, o melhor atleta olímpico brasileiro da atualidade   Ubaitaba.com- Sempre Atualizado!

Leia Mais »

Brasil vence nos pênaltis a Austrália e fica com a vaga na semifinal

Brasil vence nos pênaltis a Austrália e fica com a vaga na semifinal

O Brasil tentou resolver nos 90 minutos. Tentou resolver nos 120 minutos. Mas resolveu somente na sofrida disputa de pênaltis após o placar de 0 a 0 no Mineirão. E quis o destino que a heroína de hoje fugisse do convencional. A craque Marta desperdiçou a quinta cobrança, mas a goleira Bárbara defendeu duas em seguida e classificou o Brasil para a semifinal olímpica contra a Suécia, no Maracanã, na próxima terça.

Leia Mais »

Alemanha tem ‘olimpíada na lama’. Veja Fotos

Na festa, participantes competem em

A cidade alemã de Brunsbuettel, no Mar do Norte, está realizando a tradicional “Wattoluempiade”, ou Olimpíada na Lama. Na festa, participantes competem em modalidades disputadas na lama.Veja fotos: Participantes jogam handebol na lama (Foto: Fabian Bimmer/Reuters) Alemanha tem olimpíada na lama (Foto: Fabian Bimmer/Reuters)  

Leia Mais »

Imagem forte: Armênio fratura braço ao tentar levantar 195kg no arremesso

O armênio Andranik Karapetyan levou a pior na final do levantamento de peso categoria até 77kg masculina. Em sua segunda tentativa da prova do arremesso, o atleta quebrou o braço esquerdo enquanto levantava 195kg e precisou ser retirado imediatamente da disputa. Logo após o ocorrido, Karapetyan urrou de dor e gerou aflição em todos os presentes. Ele foi levado rapidamente à ambulância de plantão no local para os primeiros socorros. De lá, o armênio foi removido a um hospital próximo do Riocentro. Ainda não há informações mais detalhadas sobre o estado do pesista. No momento da lesão, Andranik brigava pelo título da categoria com o chinês Xiajun Lyu, que bateu o recorde mundial do arranco minutos antes, ao levantar 177kg. Pensando estar com o caminho livre para o ouro, Xiajun Lyu chegou a comemorar efusivamente após fazer 202kg no arremesso e atingir um total de 379kg. (Fotos: AFP) Ele não contava, porém, que o cazaque Nijat Rahimov fosse levantar os 214kg necessários para tomar-lhe a primeira colocação. Final de prova: ouro para Rahimov (379kg), prata para Xiajun Lyu (379kg) e bronze para o egípcio Mohamed Mahmoud (361kg). (Globo Esporte)

Leia Mais »

Voluntária dos Jogos Olímpicos pede atleta do rugby em casamento

Apesar da seleção feminina brasileira de Rugby não ter se classificado para as finais, nem tudo foram tristeza pelo lado das jogadoras. Isso porque a atleta Isadora Cerullo foi pedida em casamento pela voluntária dos Jogos Olímpicos Marjorie Enya e ela aceitou no mesmo instante. O momento especial aconteceu na cerimônia que decretou o título olímpico para a Austrália. O Brasil não levou medalha, mas a Marjorie aproveitou que Izzy, como também é conhecida Isadora Cerullo, e as outras jogadoras estavam no gramado e pegou o microfone que fazia parte do evento e declamou o pedido para todos os presentes. Após a resposta com um “sim”, ambas se beijaram e se abraçaram. No entanto faltou o anel de noivado. Como improviso, Marjorie Enya amarrou um laço nos dedos dela e de Izzy para selar o compromisso. (MSN)

Leia Mais »

Crianças carentes assistem a partidas olímpicas na Arena Fonte Nova

A rodada dupla do futebol feminino dos Jogos Olímpicos Rio 2016, realizada na Arena Fonte Nova, nesta terça-feira (9), foi especial para 1,4 mil jovens carentes de Salvador e região metropolitana. Atendidos pelos projetos desenvolvidos pelas Bases Comunitárias de Segurança (BCS) e por instituições filantrópicas apoiadas pelas Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA), eles tiveram a oportunidade de assistir gratuitamente, das arquibancadas, às disputas entre Austrália x Zimbábue e Nova Zelândia x França. Para alguns, esta foi a primeira ida a um estádio esportivo. “Já havia passado pela entrada da Fonte Nova, mas nunca tinha entrado no estádio. É enorme e lindo. Estou muito feliz com essa oportunidade. Vibração total. Estou participando das Olimpíadas. Jamais vou esquecer disso“, conta Beatriz Conceição, 21 anos, moradora do bairro da Santa Cruz. Doze bases comunitárias foram contempladas com mil ingressos e as instituições apoiadas pelas VSBA receberam 400 entradas. Os ingressos foram distribuídos por meio do Programa Pacto Pela Vida, do Governo da Bahia, que desenvolve ações de inclusão social e desenvolvimento humano voltadas para a população vulnerável. Entre os contemplados também estavam pacientes do Hospital Martagão Gesteira, do Grupo de Apoio à Criança Com Câncer (GAAC) e internos de creches e abrigos. “As Voluntárias Sociais da Bahia atuam também com o viés de inclusão social. Imagina o quanto é enriquecedor para os jovens ter a chance de participar de eventos como este. É um modo de valorização da autoestima”, enfatiza Ana Cláudia Bonifácio, assistente social das Voluntárias. Presente especial Aos oito anos, Diogo luta contra um câncer na coluna cervical. Em meio a um tratamento que já dura um ano no Martagão, ele ganhou a chance de assistir a uma partida olímpica ao lado do pai, o ajudante de vaqueiro Jerinaldo Rocha. Um passeio aproveitado ao máximo, do início ao fim. “Estou achando muito bom. Muito animado”, resume Diogo. Para Jerinaldo, o cuidado demonstrado com o filho representou um Dia dos Pais antecipado. “Meu filho precisa estar feliz para superar as dificuldades e hoje é notório que ele está. Para o pai, é um presente muito especial”, destaca. Quem também não vai esquecer esse dia é Carolina Batista. A jovem de 16 anos, moradora do bairro da Santa Cruz, mal conseguia acreditar que estava na Arena Fonte Nova. “Quando cheguei no portão do estádio, minhas pernas tremiam. Amanhã vou chegar na escola, mostrar o ingresso do jogo de hoje e dizer: ‘eu fui para um jogo de futebol das Olimpíadas’. Vou guardar para sempre”, afirma Carolina. O dia foi especial ainda para 15 internos da Fundação da Criança do Adolescente (Fundac), que deixaram as instalações da instituição, no Matatu de Brotas, para acompanhar as partidas olímpicas. A oportunidade foi um reconhecimento por bom comportamento. (SECOM/Fotos: Amanda Oliveira/GOVBA)

Leia Mais »

Com mais dois ouros no Rio, Phelps chega a incríveis 25 medalhas olímpicas

Se Michael Phelps fosse um país, o próximo alvo do nadador americano seria o Brasil. Ontem à noite, o maior medalhista da história olímpica ganhou mais dois ouros e chegou a incríveis 25 medalhas na coleção, sendo 21 douradas. Em 31 edições dos Jogos Olímpicos na história, contando com o Rio-2016, o Brasil tem 24 medalhas de ouro. A primeira medalha de Phelps ontem à noite foi nos 200m borboleta: 1min53s36, apenas quatro centésimos de segundo à frente do japonês Masato Sakai, que cresceu nos 50m finais e colocou em risco a vitória do americano. O húngaro Tamas Kenderesi levou o bronze, com 1min53s62. O intervalo de descanso até a segunda medalha foi curto. Pouco mais de uma hora depois – com seis provas de intervalo -, lá estava Phelps fechando a noite no Parque Aquático Maria Lenk com o revezamento dos Estados Unidos, nos 4x200m livre. Michael Phelps é sinônimo de ouro. Nadador americano de 31 anos é o maior medalhista olímpico da história (Foto: AFP) E não deu outra: 7min00s66 e ouro ao lado de Cono Dwyer, Townley Haas e Ryan Lochte. Prata para a Grã-Bretanha e bronze para o Japão. Phelps já tem três medalhas no Rio. No domingo, venceu o revezamento 4x100m livre. Ele ainda cairá na água para mais três provas: 200m medley, hoje;  100m borboleta amanhã; e o revezamento 4x100m medley na sexta. Convém lembrar que Phelps foi apenas um dos fenômenos que nadaram ontem. Sua compatriota Katie Ledecky venceu os 200m livre com 1min53s73. Prata para a sueca Sarah Sjostrom e bronze para a australiana Emma Mckeon. Nos 200m medley, a húngara Katinka Hosszu bateu recorde olímpico: 2min06s58. Terceiro ouro dela no Rio. Brasil na final O brasileiro Marcelo Chierighini classificou para a final dos 100m livre, que será realizada hoje, às 23h03. Ele nadou para 48s23 e fez o oitavo tempo da semifinal. O americano Nathan Adrian, atual campeão olímpico, liderou com o tempo de 47s83. Nicolas Nilo, em 28º com 49s05, não passou da fase classificatória. (Rede Bahia)

Leia Mais »

Seleção brasileira busca energia baiana para avançar às quartas

Foi em Salvador a última atuação convincente da Seleção Brasileira. Contra o Peru, em novembro, na Fonte Nova, a equipe venceu por 3 a 0. Depois disso, o selecionado só venceu Panamá, em amistoso, por 2 a 0, e o fragilíssimo time do Haiti, por 7 a 1. É naquela partida, disputada há quase nove meses, que o Brasil se inspira para vencer a atual crise. Em dois jogos na Olimpíada, o time comandado pelo baiano Rogério Micale empatou sem gols contra as frágeis África do Sul e Iraque. Nesta quarta-feira, 10, enfrenta a Dinamarca, às 22h, na Fonte Nova, precisando vencer para avançar às quartas de final. “Salvador é um lugar que me traz sorte. Foi aqui o meu primeiro gol na seleção (marcou o segundo sobre o Peru). A torcida apoia muito, e isso, num momento tão difícil como esse, vai fazer toda a diferença”, disse Renato Augusto, um dos mais experientes do grupo, ao lado do goleiro Weverton, com 28 anos. Micale, 47 anos, volta com um peso enorme para a sua cidade natal: “Será a partida mais importante da minha carreira. Como sou baiano, gostaria que meu povo abraçasse a seleção. Apesar de ter vivido pouco tempo aqui, sinto muito orgulho de ser baiano e gostaria que nossa arrancada começasse em Salvador”.

Leia Mais »

Boxeador preso por suspeita de estupro é transferido para Bangu

A delegada Carolina Salomão, da 42º DP (Recreio), afirmou nesta segunda-feira (8) que o treinador do pugilista da Namíbia Jonas Junias Jonas, preso suspeito de estupro, estava no quarto e não tentou impedir o crime. Segundo a delegada, o pugilista já foi levado para um presídio em Bangu, na Zona Oeste. “A vítima alega que o treinador dele estava no quarto, viu a abordagem e não chamou a atenção dele. Nem fez nada para coibir. O treinador teria visto [o crime], mas não deve responder como coautor. Mas o mínimo que ele deveria ter feito é ter reprimido”, afirmou Carolina Salomão. “É um desrespeito às leis e às mulheres brasileiras”, declarou a delegada. O atleta de 22 anos foi preso no domingo (7) por volta de 17h. O treinador, cujo nome não foi divulgado, ainda será ouvido pela polícia. Junias foi reconhecido por foto e depois pessoalmente pela camareira. “Ela limpava outro cômodo, ele a agarrou por trás e deu um beijo no pescoço”, disse a delegada. Segundo Carolina Salomão, a camareira contou que, depois de se soltar do suspeito, o atleta ainda fez gestos de atos sexuais e ofereceu dinheiro para a vítima. A embaixada da Namíbia afirmou que, por enquanto, não vai se pronunciar sobre o assunto. O Comitê do Rio 2016 afirmou se tratar de uma investigação policial e disse que vai acompanhar o caso. O caso envolvendo o boxeador, que foi porta-bandeira da Namíbia na cerimônia de abertura da Olimpíada, ocorreu menos de uma semana após outro boxeador, do Marrocos, ter sido preso também suspeito de estupro na Vila Olímpica. De acordo com o Código Penal brasileiro, o crime de estupro se configura se o autor forçar a vítima a ter conjunção carnal, praticar ato libidinoso (qualquer um que vise prazer sexual) ou obrigar a vítima a permitir que se pratique ato libidinoso com ela. Portanto, qualquer ato com sentido sexual praticado sem consentimento é considerado estupro.Entenda o que diz a legislação brasileira sobre o crime. (G1)

Leia Mais »

Nem Pelé nem Neymar: Isaquias é o ídolo dos moçambicanos canoístas

Aquele frio na barriga, os olhos marejados. A solenidade de hasteamento de bandeira na Vila Olímpica nesta terça-feira teve sabor diferente para dois canoístas de Moçambique. Independentemente do resultado nos Jogos Olímpicos do Rio, Mussa Chamaune e Joaquim Lobo já fazem parte da história do país do sudeste africano. Simplesmente porque são os primeiros representantes do esporte numa Olimpíada. E nesse resultado tem uma pitada brasileira com sabor de acarajé, prato preferido de Joaquim, e de arroz com feijão ou uma caprichada feijoada, os favoritos de Chamaune. Os dois ficaram em terras brasileiras por oito meses, mais especificamente em Curitiba, num intercâmbio com a canoagem brasileira. Mas o namoro é longo: a dupla, que vai competir no C2 1.000m e nas provas individuais – C1 200m -, vem trilhando o caminho há um bom tempo sob orientação de treinadores de um país que tem no idioma português um dos traços em comum. E na hora de apontar um ídolo, uma referência, os dois nem querem saber de Pelé. Muito menos de Neymar. O cara, para eles, é Isaquias Queiroz, nome brasileiro da canoagem cotado na briga por medalha. – Isaquias é um fenômeno, representa muito mais que o Neymar, nem gosto muito de futebol. Acompanhamos tudo que o Isaquias faz – disse, sem hesitar, Mussa Chamaune, 23 anos, nascido em Maputo. – Ah, o Isaquias… A técnica dele é perfeita. A maneira dele… é um atleta e tanto – afirmou,  hesitando para encontrar as palavras, Joaquim Lobo, 21 anos, também de Maputo.  A canoagem brasileira cresceu muito, virou uma referência, é de alto nível” Joaquim Lobo Jovens, os dois encontraram em Isaquias o maior exemplo. Não chegaram a ficar amigos do brasileiro, mas a reverência mostra o respeito por quem será um dos adversários no C2 1.000m. Tanto Joaquim como Mussa não economizaram elogios também aos treinadores Juan Emanuel, o primeiro responsável pela evolução da dupla, em 2011, e Figueroa Conceição, o atual. O Brasil sempre presente… – A canoagem brasileira cresceu muito, virou uma referência, é de alto nível. O intercâmbio começou em 2011, com o Juan, na preparação para os Jogos Africanos, depois disso, em 2013, para o Mundial, e em 2015 com o Figueroa. Os dois foram muito importantes. Ganhamos o ouro nos 1.000m na África. Nossa expectativa é grande. Queremos sentir como os atletas se comportam numa competição olímpica e ver o resultado desse aprendizado – lembrou Joaquim Lobo.. Mussa Chamaune confessou que não esperava resultados com a rapidez com que aconteceram, ainda mais diante de tantas dificuldades. Mas, com a fé em dia, tratou de fazer seu pedido quando avistou um dos maiores cartões-postais do Rio de Janeiro. – Treinei bastante para chegar aqui, mas não imaginei que fosse assim, de forma surpreendente. Esperava mais tempo para conseguir. Mas chegamos aqui. Estou um pouco nervoso pelo fato de sermos os primeiros do país. Não chega a tirar o sono, mas estou ansioso para participar da competição. Vai ser na Lagoa, dia 15. Linda, por sinal! E dá para ver o Cristo Redentor de lá. Já pedimos a ele um grande resultado. O que eu mais gostaria era chegar a uma final, estarei feliz. Já é muito para um evento tão grande que nem esse. Será um motivo de alegria ímpar para nós e o nosso país. Aqui são os melhores dos melhores. Joaquim Lobo sorria feito criança na Vila Olímpica e olhava tudo ao redor. Mas não veio para brincadeira: na hora da competição, sabe que a responsabilidade será enorme e tem consciência da dimensão do feito da dupla para o país. – É uma alegria muito grande escrevermos o nome na canoagem moçambicana como os primeiros a participar dos Jogos Olímpicos. Dá um frio na barriga, sim. Como é a primeira vez temos que mostrar o que aprendemos esse tempo todo aqui no Brasil e dar o melhor de nós por resultados nos Jogos.  É uma alegria muito grande escrevermos o nome na canoagem moçambicana como os primeiros a participar dos Jogos Olímpicos. Dá um frio na barriga, sim. Joaquim Lobo A saudade da família é o maior lamento de uma dupla feito unha e carne, até quando não está em competição. Os dois começaram a selar a parceria em 2010. Mas cada um tem suas preferências. Se Joaquim prefere o acarajé baiano, Mussa opta por um arroz com feijão bem nacional. De famílias humildes, passaram por dificuldades financeiras até atingirem o patamar de atletas olímpicos. Mussa lembra a longa caminhada. Literalmente. – Quando comecei a fazer canoagem, tive muita dificuldade. Meu pai é pedreiro, minha mãe é dona de casa. Somos cinco irmãos. Para treinar tinha que caminhar longas distâncias até o clube Marítimo de Desportos, eram 10 quilômetros por dia, às vezes correr até lá já fazia parte do treinamento. Não tínhamos alimentação certa. Era bem difícil. Tivemos nossa primeira vitória um ano e meio depois de começar a treinar, no Campeonato Africano. Graças a nosso treinador, o Juan Emanuel, conseguimos. Joaquim lembra que, no seu caso, a canoagem o possibilitou de seguir nos estudos e a terminar o ensino médio. Tensos, mas felizes, os dois esperam voltar para Moçambique com boas histórias para contar. As provas de canoagem começarão no dia 15, na Lagoa. Extrovertido, Mussa já está mais acostumado com a cultura brasileira e cantarolou de “Não me deixe sozinho”, do Nego do Borel – “Amor, ficar sozinho dá caô” – até “A noite”, de Tiê – “Entre palavras não ditas, tantas palavras de amor. Essa paixão é antiga e o tempo nunca passou.” Pelo visto, a tendência é o intercâmbio aumentar…

Leia Mais »

Rafaela Silva conquista o primeiro ouro do Brasil no judô

A primeira medalha de ouro do Brasil no Rio-2016 finalmente saiu. Nesta segunda-feira (8), a judoca Rafaela Silva deu um show em sua cidade natal ao derrotar a oponente Sumiya Dorjsuren, da Mongólia, na final da categoria até 57 kg.  A missão não era fácil. Em cinco lutas que já fez contra a adversária, a brasileira havia vencido apenas uma e perdido outras quatro. Sem se apegar ao passado, venceu ao aplicar um wazari na oponente. – Acho que eu só tenho agradecer todo mundo que me deu forças. Treinei bastante para representar todo esse ginásio. Se eu pudesse servir de exemplo para crianças da comunidade, é o que eu tenho para passar para o judô. Treinei tudo que podia nesse ciclo, saia treinando chorando, queria a medalha. Trabalhei o suficiente para conquistar. Para uma criança que cresceu numa comunidade que não tem muito objetivo na vida, como eu, que sou da Cidade de Deus, e começou a fazer judô por brincadeira, agora sou campeã mundial e olímpica – vibrou Rafaela.   Desde que entrou pela primeira vez no tatame nesta segunda, Rafaela decidiu que ela ia muito longe na Olimpíada do Rio. Dona de um enorme talento para o judô, mas nada fã dos exaustivos treinos, ela foi campeã mundial em 2013, porém passou os três últimos anos sem grandes resultados e passou a ralar muito mais nos treinamentos. Estava tudo guardado para a competição na casa dela. Com muita raça, sangue nos olhos e uma técnica apurada, ela contou o apoio de uma ensandecida torcida que vibrou sem parar, pressionando as gringas. A Silva mais famosa do momento derrotou, pela manhã, em sequência, a alemã Myriam Roper (primeira fase), a sul-coreana Jandi Kim (oitavas) e húngara Hedvig Karakas. A vaga na decisão veio com uma emocionante vitória no golden score, a prorrogação do judô, sobre a forte romena Corina Caprioriu, prata em Londres 2012 e vice no Mundial de 2015. – Neste ciclo olímpico, ninguém treinou mais que eu. Não tive bons resultados nos últimos anos, mas me preparei muito. Sofri muito depois da derrota em Londres, pensei em desistir. Nesse ciclo, ninguém treinou mais que eu. Não tive bons resultados nos dois últimos anos, mas me preparei muito. Em Londres vivi o pior momento da minha vida, mas pude me recuperar pra essa competição. Eu cheguei a ficar deitada na cama, desisti. Mas eu não podia deixar de representar o meu país – disse. (Correio/Globo Esporte)

Leia Mais »

Brasileiro e argentino trocam socos e interrompem partida de tênis no Rio

Bandeiras argentinas se destacam na quadra central de tênis e dão clima de rivalidade ao esporte (Foto: Murilo Borges)

A rivalidade entre brasileiros e argentinos apareceu logo nos primeiros minutos da partida entre Juan Martin Del Potro e João Sousa, nesta segunda-feira à tarde, pela segunda fase do torneio de simples da Olimpíada. Dois torcedores se provocaram durante uma das pausas e trocaram socos na arquibancada. Militares entraram no jogo, que foi paralisado, e retiraram os dois. O gringo deixou a quadra central mandando beijos e provocando quem o vaiava. A confusão aconteceu ao fim do segundo game do primeiro set, quando o placar apontava um empate em 1 a 1. Os argentinos aumentaram o coro de apoio a Del Potro e alguns brasileiros rebateram com vaias. Dois homens, então, se desentenderam de forma mais dura e trocaram xingamentos. O argentino partiu para cima e acertou um soco no brasileiro, que revidou. A briga durou pouco, mas a partida precisou ser interrompida (os tenistas até saíram de quadra). Sob o coro de “expulsa!” dos demais torcedores, os militares evitaram um conflito maior e levaram os dois brigões para fora da quadra de tênis – segundo a Força Nacional, eles ficarão fora do complexo até o fim da partida de Del Potro e depois estarão liberados para assistir aos demais jogos do dia. Na saída, os brasileiros responderam com aplausos, enquanto o “rival” provocava, ao apontar para a camisa da seleção argentina que usava e mandar beijos. As provocações entre brasileiros e argentinos têm sido comuns durante as disputas olímpicas (o assunto já gerou reclamações no basquete). No tênis, não é diferente. O clima de rivalidade esquentou bastante na noite de domingo, quando Del Potro eliminou Novak Djokovic, número 1 do mundo e então favorito à medalha de ouro. Os brasileiros torciam pelo sérvio, enquanto os argentinos vibravam a cada ponto de seu representante, que segue na disputa por medalha. A briga deu ainda mais pimenta ao confronto entre Del Potro e João Sousa. Os argentinos, que exibiram dezenas de bandeiras na quadra central, aumentaram o coro a cada intervalo (às vezes até durante o ponto, pouco antes do saque) e irritaram os brasileiros, que estavam na torcida pelo tenista português. (Globo Esporte)

Leia Mais »

“Missão cumprida”, diz Felipe Wu ao faturar a prata na Rio-16

“Missão cumprida”, diz Felipe Wu ao faturar a prata na Rio-16

O primeiro tiro da última série de Felipe Wu garantiria a medalha de ouro na pistola de ar 10m. Atrás do vietnamita Xuan Vinh Hoang desde a quarta série, o atirador brasileiro arrancou 10.2 pontos naquela rodada, enquanto o adversário fez 9.2 pontos. Os dois finalistas foram para a linha de tiro para o disparo decisivo sabendo que Wu estava a ponto de fazer história: 96 anos depois do título olímpico de Guilherme Paraense – cujo nome batiza o centro olímpico de tiro esportivo no Rio –, nos Jogos da Antuérpia, em 1920, um brasileiro poderia voltar a ser campeão no tiro esportivo. “A minha tática é atirar um pouco mais rápido no final porque sei que não só aqui, com esta torcida gigante, mas também em outros eventos, sempre acontece uma reação da torcida. Então eu atirei e a torcida fez o papel dela. Eu sabia que tudo podia acontecer: tanto ele fazer um tiro bom quanto um ruim. Na etapa de Bangcoc, fiz a mesma coisa e o americano fez um tiro ruim por causa do barulho da torcida”, conta Wu, que cravou 10.1 pontos em seu tiro final. Durante os poucos segundos que separaram a aferição da marca de Wu para o momento que a nota de Hoang foi confirmada, o barulho da torcida foi realmente ensurdecedor. O estande lotado explodiu em vaias e gritos para impedir Hoang de tirar a diferença de dois décimos. Mas o sangue frio do rival prevaleceu: com um 10.7 no último tiro, o vietnamita chegou aos 202.5 pontos e eliminou qualquer possibilidade de ouro para Wu, que terminou com 202.1 pontos. Mas a medalha de prata, a que inaugurou a contagem de medalhas dos anfitriões dos Jogos Olímpicos, veio com a sensação de dever cumprido. “Ele atirou muito bem e dei parabéns para ele, porque o resultado foi excepcional. Desde que percebi que ficaria entre os três primeiros, fiquei muito tranquilo. Sentia que a minha missão estava mais do que completa e o que viesse era lucro”. Depois de avançar como sétimo e penúltimo colocado na fase classificatória, superando um começo instável, Felipe Wu chegou para a final empurrado pelo público que lotou o estande de tiro. Seu sobrenome virou um grito de guerra que o levou até o pódio. E o reconhecimento da grandeza do feito do paulista de 24 anos veio quando os espectadores brasileiros entoaram o hino nacional para o segundo colocado. “Todo mundo sabe que o tiro esportivo é um esporte que não é muito conhecido e das dificuldades que tivemos para chegar a esta medalha. É uma grande vitória e a torcida fez um gesto bonito para mim”, elogia. “Eu sempre digo que, no momento de atirar, sou eu, a arma e o alvo e nada pode me atrapalhar. Mas na maior parte do tempo a vibração deles me passou uma energia muito boa. Sempre que eu abaixava a cabeça, ouvia o barulho deles e me sentia muito bem”.

Leia Mais »

Gisele desfila ao som de Garota de Ipanema em cerimônia

Top model mais famosa do mundo, Gisele Bündchen foi a escolhida para representar, na cerimônia de abertura da Rio 2016, a Garota de Ipanema.  E nesta noite, interpretando Helô Pinheiro, musa inspiradora da canção de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, a modelo encarou a maior passarela de sua vida: os 105 metros do campo do Maracanã. E diante do maior público que já presenciou. Cerca de 60 mil pessoas nas arquibancadas e mais 3 bilhões assistindo pela TV ao redor do mundo. – Muito emocionada de ter sido convidada para participar da maior festa esportiva  do mundo. Essa é a maior passarela que desfilo na vida – disse Gisele à TV Globo antes de entrar em ação. A polêmica cena que, segundo os presentes no ensaio geral, poderia ser confundida com um “assalto”, foi retirada. Na cena original, um menino, supostamente um vendedor, tentava abordar a modelo e era contido por dois policiais, até Gisele esclarecer o ocorrido. Gisele surgiu em um vestido longo e brilhante, com um corte exibindo as pernas. Sem a cena de “assalto”, ela “tomou de assalto” a passarela do Maracanã. O estádio se encheu de graça para ver a modelo caminhar, num doce balanço, em direção a painéis com a imagem de Tom Jobim projetada. Em cima da estrutura, Daniel Jobim, neto do maestro, tocava “Garota de Ipanema” em um piano interpretando o avô. Bündchen foi a estrela da sequência intitulada “Bossa”, que homenageou não só o gênero musical, mas todo o cenário cultural e artístico que marcou as décadas de 1950 e 1960 do país. Também foram feitas referências ao arquiteto Oscar Niemeyer, ao paisagista Burle Marx, ao escritor Jorge Amado. O vestido de Gisele deixou rastros de luz no palco do Maracanã, que transformaram-se em traços de obras icônicas de Niemeyer, como a igreja da Pampulha, a Casa das Canoas, o MAC e a Catedral de Brasília.

Leia Mais »

O que você não pode perder no 1º dia: Sarah, basquete americano e Zanetti

Vinte modalidades, 16 horas de competições, 12 medalhas de ouro em disputa. O primeiro dia oficial dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro começa logo cedo, às 8h30 com o remo, e termina já na madrugada de domingo com a última partida de vôlei de praia. Para o apaixonado pelo esporte não se perder, o GloboEsporte.com elencou os eventos que você não pode perder de jeito nenhum. O Play nos Jogos, canal gratuito do GloboEsporte.com, acompanhará todas as modalidades, 24hs por dia ao vivo. CLÁSSICO NO HANDEBOL: BRASIL X NORUEGA Campeã mundial em 2013, a seleção feminina de handebol do Brasil tem uma duríssima estreia: enfrenta a Noruega, ouro nas Olimpíadas de 2008 e 2012, e algoz do Brasil há quatro anos, em Londres, nas quartas de final. O jogo contará com três atletas que já foram eleitas a melhor do mundo: Heidi Loke, da Noruega, e Alexandra e Duda, do Brasil. O duelo começa às 9h30, na Arena do Futuro. A PRIMEIRA MEDALHA DOS JOGOS VEM DO TIRO Como já é tradição, o tiro esportivo dará a primeira medalha olímpica dos Jogos do Rio. Por volta das 10h30, em Deodoro, será disputada a final da carabina 10m feminina. Fiquem atentos, pois a decisão não costuma demorar mais de dez minutos. TEM ZANETTI E DIEGO As eliminatórias da ginástica masculina têm inícioàs 10h30, na Arena Olímpica do Rio, já com a participação brasileira. O quinteto brasileiro- Arthur Zanetti, Diego Hypolito, Sérgio Sasaki, Francisco Barreto e Arthur Nory – tentará vaga nas finais por equipes, do individual geral e por aparelhos. As competições seguem até às 21h, com a apresentação das últimas equipes. ESTREIA DOS CAMPEÕES MUNDIAIS Bruno e Alison, campeões mundiais de vôlei de praia, abrem neste sábado a caminhada rumo ao pódio olímpico. Às 11h, em Copacabana, os líderes do ranking jogam contra os canadenses Binstock e Schachter, 20ª melhor dupla da classificação. BRASIL X CAMARÕES O primeiro teste da seleção feminina de vôlei do Brasil é às 15h, no Maracanazinho, contra o time de Camarões. O time de José Roberto Guimarães não deve ter dificuldade contra as africanas, mas começar o torneio com uma boa atuação é essencial para a equipe que busca o tricampeonato olímpico. JUDÔ PODE TER MEDALHA BRASILEIRA Atual campeã olímpica, Sarah Menezes tem tudo para dar a primeira medalha do Brasil no Rio. Favorita ao pódio na categoria até 48kg, ela lutará as eliminatórias a partir das 10h, e, se tudo der certo, voltará ao tatame na parte da tarde. Os combates que valem medalha começam às 15h30, na Arena Carioca.  PÓDIO PODE VIR NO TIRO A primeira medalha da história do Brasil na Olimpíada veio no tiro esportivo, em 1920. Quase um século depois, Felipe Wu pode recolocar o país no pódio na modalidade. Ele é um dos favoritos na prova de pistola 10m, que tem a final marcada para às 15h30, em Deodoro.  JOGÃO NO FUTEBOL FEMININO Estados Unidos e França estão entre as principais favoritas ao pódio no futebol feminino. Pelo sorteio dos grupos, as duas equipes se enfrentam logo na fase de grupos, na primeira fase do evento. O jogo será neste sábado, às 17h, no Mineirão, em Belo Horizonte.  ESTREIA DAS LEONAS O hóquei na grama não é muito popular por aqui, mas é uma paixão na Argentina. Às 17h, em Deodoro, as Leonas, como são conhecidas, estreiam no torneio contra os Estados Unidos. As Hermanas foram ao pódio nas últimas quatro edições da Olimpíada. BASQUETE DOS EUA Mesmo sem todas as estrelas da NBA, o time americano de basquete é um espetáculo a parte. Às 19h, na Arena Carioca, a equipe enfrenta a China, em partida válida pela primeira rodada da Olimpíada. SHOW NA ÁGUA Já no fim do dia, a partir das 22h, acontecem as finais da natação, no Complexo Aquático. A primeira prova é a decisão dos 400m medley masculino, mas a prova que mais promete é o revezamento 4x100m feminino, com a emoção clássica das provas por equipe nas piscinas. Na mesma sessão, acontecem outras três decisões: 400m livre masculino, 400m medley feminino e masculino. (Globo Esporte)

Leia Mais »

Temer é vaiado durante abertura da Olimpíada no Rio; Assista

O presidente em exercício, Michel Temer, foi vaiado durante a cerimônia de abertura da Olimpíada, na noite desta sexta-feira (5), no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.  Na parte final da cerimônia, sob muitas vaias e alguns aplausos, Temer assumiu o microfone e falou a frase que abre oficialmente os jogos. No início do evento, ele não havia sido anunciado. Pelo protocolo, o nome do presidente do país-sede é anunciado junto com o do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), mas apenas Thomas Bach foi anunciado antes do hino nacional. A assessoria de Temer afirmou que o presidente em exercício não pediu à organização para não ser anunciado, e que todo o formato da cerimônia foi definido pelo COI. Inicialmente, havia a informação de que Temer tinha pedido para não ter o nome anunciado. Segundo o “O Globo”, no guia de mídia entregue aos jornalistas antes do evento, estava prevista a “apresentação dos presidentes” do COI e do Brasil, mas Temer ficou de fora do anúncio. Na semana passada, ele disse estar “preparadíssimo” para receber vaias na cerimônia de abertura. Durante o dia, ocorreu em Copacabana um protesto que pedia a saída de Temer e a volta da presidente afastada Dilma Rousseff. Por causa da manifestação, o trajeto da tocha olímpica precisou ser alterado. (G1)

Leia Mais »

Abertura é o maior desafio de segurança e mobilidade dos Jogos Olimpicos no Rio

Abertura é o maior desafio de segurança e mobilidade dos Jogos Olimpicos no Rio

O Rio tem nesta sexta-feira (5) o maior desafio de segurança e mobilidade na Olimpíada: transportar os 45 chefes de Estado do antigo Palácio do Itamaraty, no Centro do Rio, e levá-los ao estádio do Maracanã. Hoje (5), às 20h, acontece a cerimônia de abertura da 31ª edição dos Jogos Olímpicos – a primeira da história na América do Sul. Um forte esquema de segurança foi montado para a solenidade de abertura, para garantir a segurança de autoridades como o presidente francês, François Hollande, o secretário de Estado americano, John Kerry, e o presidente em exercício do Brasil, Michel Temer. A cerimônia de abertura deve receber 80 mil pessoas – sendo mais de 11 mil atletas – no Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã. Nesta sexta e nos próximos 16 dias do evento, o Centro Integrado de Comando e Controle Regional, no Centro, servirá como coração da segurança da Rio 2016. Ameaças de terrorismo A ameaça de terrorismo é apenas uma das dificuldades consideradas para garantir a segurança dos Jogos. Os recentes atentados em diversas partes do mundo, como em Nice, Istambul e Frankfurt, deixaram os setores de segurança ainda mais atentos. As recentes prisões de suspeitos de terrorismo foram levadas em conta, mas o alerta no Centro Integrado de Comando e Controle continua no nível amarelo, o segundo em uma escala de quatro níveis, que ainda possui as cores laranja e vermelho, alerta máximo.

Leia Mais »

Weverton ocupa o lugar de Prass e será o goleiro do Brasil na Olimpíada: ‘Muito feliz’

Weverton ocupa o lugar de Prass e será o goleiro do Brasil na Olimpíada: 'Muito feliz'

Weverton será o goleiro do Brasil na Olimpíada. O camisa 12 do Atlético-PR foi anunciado na tarde deste domingo (31) para ocupar a vaga de Fernando Prass, cortado depois de uma lesão no cotovelo.  Contra o Cruzeiro, Weverton teve uma atuação espetacular (Foto: Gustavo Oliveira/Atlético-PR/Divulgação)   Weverton está na sua quinta temporada sob as traves do Atlético-PR. No atual Campeonato Brasileiro, foi titular em todos os 17 jogos do Furacão e levou 17 gols. Com 28 anos, o goleiro chega para ocupar a terceira vaga dentre com idade maior do que 23 anos. “Estou muito feliz. A ficha ainda está caindo”, disse o jogador ao site oficial do Atlético Paranaense. “Trabalhamos sempre com a expectativa de que isto possa acontecer”. Vale lembrar que, no início do mês, os técnicos Tite e Rogério Micale (Seleção principal olímpica, respectivamente) estiveram presente na vitória por 3 a 0 do Atlético-PR sobre o Cruzeiro. Naquela partida, Weverton fez 7 defesas e foi um dos grandes destaques. (GOAL)

Leia Mais »

Elenco do Bahia se reapresenta amanhã e só volta a jogar no dia 16

Duas semanas sem entrar em campo. O Bahia só volta a jogar no dia 16 de agosto, quando enfrenta o Atlético-GO, às 20h30, na Fonte Nova. Até lá, se não for ultrapassado no início da 19ª rodada, amanhã, vai amargar o 10º lugar na tabela de classificação da Série B. Com 24 pontos, está a oito do G4 e a cinco da zona de rebaixamento. O próximo adversário tricolor é o quarto colocado e já soma 32 pontos. Guto Ferreira terá mais duas semanas para treinar o time do Bahia (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia) A pausa será importante para recuperar jogadores titulares que estão machucados, caso dos zagueiros Jackson e Lucas Fonseca e do atacante Edigar Junio. Com eles, o técnico Guto Ferreira não terá desfalques para enfrentar a equipe goiana, já que nenhum jogador está suspenso. A nova “intertemporada” do Bahia será realizada no Fazendão mesmo. Esta é a segunda pausa no campeonato desde que Guto Ferreira assumiu o Bahia. A primeira foi entre a 15ª e a 16ª rodadas, quando o Bahia ficou 10 dias sem entrar em campo. Na ocasião, a delegação tricolor se concentrou em Porto Seguro e realizou os treinos no estádio municipal. Apesar da tranquilidade, o time apenas empatou em 0x0 com o lanterna Sampaio Corrêa no jogo seguinte. Dessa vez, o retorno precisará apresentar resultados diferentes para que o objetivo do acesso continue palpável. “A gente não pode se entregar. Eu não jogo a toalha nunca. A gente tem que ir para cima. Tem que trabalhar, buscar fazer melhor, melhor e melhor e buscar vencer dentro e fora de casa. Temos que conseguir fazer resultados. Não podemos ficar empatando nem perdendo fora”, afirmou o técnico Guto Ferreira após a derrota por 1×0 para o Bragantino, no sábado. Em dívida Guto Ferreira assumiu o Bahia há pouco mais de um mês, a partir do jogo contra o Oeste, dia 28 de junho. De lá pra cá, o treinador acumula duas vitórias, um empate e três derrotas, com três gols marcados e três sofridos. O elenco tricolor folgou ontem e também terá o dia livre hoje. A reapresentação é amanhã à tarde. (Rede Bahia)  

Leia Mais »

Yane Marques será a porta-bandeira do Brasil na abertura dos jogos no Rio 2016

Yane Marques será a porta-bandeira do Brasil na abertura dos jogos no Rio 2016

 pernambucana Yane Marques, atleta do pentatlo moderno, entrará para a história dos Jogos Olímpicos do Brasil. Na próxima sexta-feira (05) ela será a segunda mulher a representar o Brasil levando a bandeira nacional da abertura da competição. Ela entrará com porta-bandeira a frente da delegação brasileira no Maracanã , Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/COB Yane foi escolhida por votação pública e teve 49% dos votos. Ela superou os campeões olímpicos Serginho (40%), do vôlei, e Robert Scheidt (11%), da vela. Ao todo, foram 961.562 votos computados. A  primeira mulher a ter essa honra foi Sandra Pires, do vôlei de praia, em Sydney 2000. “Foram algumas surpresas, primeiro a indicação, agora esse resultado. Não esperava não, concorrer com duas feras, que eu admiro demais. É só alegria. Representa muito para mim, carregar a bandeira é uma situação honrosa, no meu país, país sede, todo mundo me assistindo. Quero ser uma porta-bandeira muito alegre e porta-voz do sentimento que os brasileiros, através do esporte, vão se unir”, disse, em entrevista ao Fantástico da Rede Globo, onde foi feita a revelação na noite desse domingo (01). O pentatlo moderno  – que é disputado desde 1912 – é a união de cinco modalidades: esgrima, natação, hipismo, atletismo e tiro esportivo. Yane ganhou o bronze em Londres (2012) e foi ouro nos jogos Pan-Americanos no Rio (2007) e em Toronto (2015). Ela também ganhou prata no Pan do México (2011). (Correio)

Leia Mais »