Conecte-se conosco

ESPECIAIS

Caso Eliza Samúdio: ‘Será um depoimento bombástico’, diz defesa sobre Bruno em júri

Publicado

em

‘Será um depoimento bombástico’, diz defesa sobre Bruno em júri

Advogado Tiago Lenoir afirmou que o goleiro contará toda a verdade. Defesa comentou relação do jogador com outros réus.

‘Será um depoimento bombástico’, diz defesa sobre Bruno em júri

Bruno volta a chorar no fórum, no segundo dia de julgamento

O advogado Tiago Lenoir disse nesta terça-feira (5) que Bruno Fernandes contará toda a verdade envolvendo o desaparecimento e a morte da ex-amante do jogador Eliza Samudio. “Será um depoimento bombástico”, disse sobre o momento em que goleiro falará ao júri. “Ele vai dizer o que teria ouvido e o que teria visto. Ele sabe de muita coisa. Ele é o Bruno. Ele é, em tese, o patrão. Ele é, em tese, quem tinha o dinheiro. Era ele quem sustentava aquele povo todo, então dizer que ele não sabia de nada seria ingenuidade”, afirmou.

Sobre a possibilidade de Bruno confessar ter mandado matar a modelo, Lenoir disse não ser uma orientação da defesa: “Se ele confessar será uma surpresa para nós”. O advogado também contou sobre a relação do jogador com os outros réus, os quais ele sustentava, de acordo com Lenoir. “Ele foi goleiro da nação rubro-negra, do Atlético-MG. O Bruno tem que ser goleiro dele mesmo. Ele foi goleiro de pelo menos nove famílias”, disse.

Em relação ao depoimento de Luiz Henrique Romão – o Macarrão -, em novembro de 2012, no qual o réu informou ter levado de carro a ex-amante do jogador até local indicado pelo goleiro, Lenoir disse que à época Bruno esperava a verdade do amigo. “Ele está muito chateado porque acreditava que o Macarrão também diria o que sabe, mas não falou”, contou nesta terça (5).

Na época, Macarrão também disse à juíza que não sabia o que iria acontecer com Eliza, mas que “pressentia” que a jovem seria morta. Macarrão afirmou ainda que alertou Bruno sobre o que podia acontecer, mas que o goleiro pediu para ele deixar “de ser bundão”.

Durante a manhã desta segunda-feira (4), Bruno chorou e leu passagens da Bíblia enquanto estava na sala do júri. Lúcio Adolfo, advogado do goleiro, comentou sobre o momento em que o goleiro se emocionou: “Ontem eu quis abrir espaço para ele ser fotografado e criar um ambiente de simpatia. Queria ver quem não iria chorar diante de uma exposição como a que ele está sofrendo”.

Nesta segunda, o assistente de acusação, José Arteiro, disse ao G1 que havia a possibilidade de um acordo caso Bruno confesse o crime, o que foi negado na chegada para o segundo dia de júri. “Se ele confessar, estou perfeitamente disposto a ajudá-lo a cumprir uma pena menor. Mas, se ele quiser insistir na tese de empurrar toda a culpa para o Macarrão, ai eu vou lutar para ele ficar mais de 40 anos naquele presídio Nelson Hungria e sem direito a frigobar e nem whisky na cela”, disse José Arteiro. Porém, nesta terça-feira (5), disse não estar interessado se o goleiro vai admitir ou não ser o mandante do crime contra a ex-amante Eliza Samudio. “Não estou interessado na confissão dele, essa confissão para mim pouco importa. as provas do processo são muito boas e ele vai dançar”, disse.

Os advogados de Bruno afirmam que não haverá acordo para a confissão de Bruno Fernandes. “Não existe acordo. Aquela imoralidade, indecência que aconteceu com o Macarrão é absolutamente irregular. Aquilo é ilegal, não existe no direito brasileiro”, disse Lúcio Adolfo.  Outro advogado do atleta, Tiago Lenoir, falou que a confissão de Bruno não é estratégia da defesa. “Se o Bruno quiser confessar, será ele confessando e não a defesa instruindo que ele confesse, até porque o trabalho da defesa é trabalhar com as provas dos autos. Não precisa de acordo para fazer isso. A defesa está agindo pela ausência de culpa por parte do Bruno”, disse.

Bruno é acusado de planejar a morte da ex-amante Eliza Samudio, em crime ocorrido em 2010. Ele responde pela morte e ocultação de cadáver da modelo de 25 anos e pelo sequestro e cárcere privado do filho que teve com a jovem. O julgamento da ex-mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues, também começou na manhã desta segunda-feira. Ela responde por sequestro e cárcere privado do filho de Eliza. G1

Sáiba mais:

Caso Eliza Samúdio: MP aponta policial aposentado como novo suspeito

Caso Eliza Samúdio: Saiba quem são os réus do caso Eliza

Caso Eliza Samúdio: Bruno e ex vão a júri em MG nesta segunda (4)

Caso Eliza Samúdio: Não tinha como o Bruno não desconfiar, diz primo sobre morte

Caso Eliza Samudio: Advogados de Bola retornam ao júri

Caso Eliza Samúdio: Macarrão é condenado a 15 anos de prisão; ex-namorada de Bruno pega 5

Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe um Comentário

Notícias da Semana

Copyright © 2021 Ubaitaba.com. Uma empresa do grupo Comunika